Apuração tem 146 inquéritos em curso

Também tramitam 56 processos em segredo, quase todos com quebra de sigilos telefônico, bancário, fiscal e de mensagens, cujos resultados alimentam os inquéritos

iG Minas Gerais |

São Paulo. A apuração começou com um objetivo restrito: coibir doleiros que trabalhavam com câmbio ilegal. Mas acabou por atingir o coração da maior empresa brasileira, a Petrobras, e de algumas das principais empreiteiras do país.  

Em pouco mais de um ano e meio, a operação Lava Jato levou à abertura de 75 inquéritos policiais e 15 ações penais, segundo levantamento feito pelo jornal “Folha de S. Paulo”. A condução é de uma força-tarefa formada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

Também tramitam 56 processos em segredo, quase todos com quebra de sigilos telefônico, bancário, fiscal e de mensagens, cujos resultados alimentam os inquéritos.

Os 146 procedimentos estão sob responsabilidade do juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, que também atua em dezenas de recursos e incidentes processuais, como pedidos de restituição de pertences apreendidos pela PF ou recursos contra leilão de bens. Ao abrir vários inquéritos, Moro e a força-tarefa buscam impedir a formação de grandes processos, lentos e custosos. A PF fez um inquérito para cada firma investigada.

As empreiteiras são tratadas em um conjunto de 23 inquéritos. Outro bloco, de 25 inquéritos, cuida das operações de doleiros e remessas ilegais para o exterior.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave