Incerteza na hora de pagar a folha

A pequena Varzelândia (Norte) também enfrenta problemas. O prefeito Felisberto Rodrigues (PSB) diz que pagou a primeira parcela do 13º em novembro, mas que o mesmo não deve ocorrer neste mês

iG Minas Gerais |

Em muitas prefeituras de Minas Gerais, os pagamentos do 13º e do salário mensal dos funcionários representam a maior despesa do município.

Em Carbonita, no Vale do Jequitinhonha, o prefeito Marcos Lemos (PT) afirma que a arrecadação mensal da cidade gira em torno de R$ 1,1 milhão, enquanto os gastos com funcionários chegam a R$ 700 mil. “O resto das despesas a gente tenta deixar em dia, mas o mesmo não está acontecendo com o 13º. A gente vai empurrando, mas sempre tem mês que as dívidas aumentam”, conta. No ano passado, o prefeito diz ter arcado com o 13º em dia. “Pagamos no dia 20 de dezembro”, explica o gestor. A pequena Varzelândia (Norte) também enfrenta problemas. O prefeito Felisberto Rodrigues (PSB) diz que pagou a primeira parcela do 13º em novembro, mas que o mesmo não deve ocorrer neste mês. “Só vamos saber se vai dar para pagar os 700 funcionários no dia 20. Estamos nas mãos do governo federal”, diz o administrador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave