Testemunha diz que avô de Isabella Nardoni participou do crime

Em matéria exclusiva do "Fantástico", mulher que trabalha no sistema penitenciário de São Paulo revela que madrasta contou sobre participação de Antônio Nardoni

iG Minas Gerais | Da redação |

ANTONIO MILENA/AGÊNCIA ESTADO
undefined

O assassinato de Isabella Nardoni tem um novo suspeito. Trata-se de seu avô, Antônio Nardoni, que teria orientado a madrasta da menina, Anna Carolina Jatobá, no crime.

A informação foi dada de forma exclusiva pelo Fantástico, neste domingo (7). A fonte da notícia é uma mulher que trabalha no sistema penitenciário de São Paulo, que deu essa declaração ao Ministério Público.

A funcionária disse que Anna Jatobá assumiu, dentro do presídio, em 2008, ter batido na menina e contou que o próprio marido, Alexandre Nardoni, jogou a filha pela janela.

As novidades do caso são que Alexandre Nardoni não sabia que a filha estava viva quando foi arremessada da janela do 5º andar o prédio onde moravam. E que Alexandre só fez isso porque acreditava que a filha havia sido morta depois ser agredida pela madrasta.

A participação do avô foi pelo telefone. Ele quem teria falado pala Anna Jatobá simular um acidente com a criança.  “Ela falou que o sogro mandou, orientou os dois a simular um acidente. Eu ouvi da boca dela, olho no olho”, disse a mulher ao "Fantástico".

Mimos e ajuda

Segundo a testemunha, a madrasta de Isabella nunca envolveu o nome do sogro porque ele a "sustenta" na cadeia, com presente como brincos e colchão especial. O avô negou à reportagem a participação no crime.

Na época do crime, com a quebra do sigilo telefônico do casal, ficou comprovado que, a partir das 23h51 da noite da morte de Isabella, Antônio Nardoni e Anna Jatobá conversaram durante 32 segundos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave