Líder local da Al Qaeda morre em ataque de drone no Paquistão

O ataque aéreo aconteceu um dia depois que as forças paquistanesas mataram um importante outro líder da Al Qaeda, Adnan el-Shukrijumah

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um integrante sênior da al Qaeda, Omar Farooq, e outros três supostos militantes foram mortos no Paquistão neste domingo (7), quando a casa onde estavam foi atacada por um drone dos Estados Unidos, disseram autoridades militares paquistanesas.

O ataque aéreo aconteceu um dia depois que as forças paquistanesas mataram um importante outro líder da Al Qaeda, Adnan el-Shukrijumah. O Federal Bureau of Investigation (FBI) dos EUA havia oferecido 5 milhões de dólares pela captura do líder - ele estava envolvido na tentativa de ataque terrorista ao metrô de Nova York em 2009.

Três combatentes do Talibã disseram que Farooq, 38, era de Karachi, onde era professor de religião antes de se juntar à al Qaeda depois do ataque em Nova York de 2001.

Ele era próximo de Osama bin Laden e Ayman al-Zawahiri, antigo e atual chefes da al Qaeda, e foi uma figura-chave na execução de operações e finanças do grupo no Paquistão e no Afeganistão, onde ele também ajudou em ataques diretos contra as tropas da OTAN, disse o Talibã. Um funcionário disse que Farooq, também chamado Ustad Farooq, era chefe do departamento de mídia regional da al Qaeda.

A Al Qaeda está intimamente ligada ao Talibã e muitas vezes os grupos trabalham em conjunto. "Ele é o primeiro paquistanês a ser nomeado para um cargo de nível sênior na Al Qaeda", disse um oficial militar. "Ele tem sido fundamental para impulsionar a Al Qaeda no Sul da Ásia, especificamente, nas atividades anti-Índia. Foi sob sua liderança que a Al Qaeda declarou oficialmente o exército do Paquistão como apostato."

O ataque do drone ocorreu na vila de Khar Tangi em Datta Khel, Waziristão do Norte, uma região montanhosa que faz fronteira com o Afeganistão. Khar Tangi fica a cerca de 45 km a oeste de Miranshah, a principal cidade do Waziristão do Norte.

O governo paquistanês frequentemente protesta contra ataques de drones, chamando-os de uma violação da soberania nacional.

FOLHAPRESS

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave