Dedicação reflete exército em farrapos

Em Kharkiv, um grupo de homens montou galpões pré-fabricados de compensado, muito mais confortáveis no inverno que as barracas

iG Minas Gerais | Andrew E. Kramer |

Dnepropetrovsk. Embora a dedicação dos voluntários à defesa da pátria emocione os patriotas mais fervorosos, também reflete o péssimo estado do Exército, precariamente equipado por um governo falido e que recebe uma ajuda mínima, em termos defensivos, do Ocidente.  

Mesmo com os rumores de uma ofensiva rebelde iminente, os oficiais se mostram corajosos e não perdem a oportunidade de reiterar a preparação do Exército. Mas em uma visita recente às linhas de frente ficou evidente que os soldados sofrem com a falta de tudo. O presidente Petro Poroshenko disse duas vezes em novembro que o Exército era capaz de defender o território e disse às autoridades de segurança e aos generais que “não há motivo para pânico”.

Só que as Forças Armadas da Ucrânia pós-soviética há anos patinam entre a corrupção e a má administração. O jornal “The Kiev Post” publicou a origem do equipamento pessoal dos soldados: com exceção do fuzil Kalashnikov e um par de botas de verão, tudo é doado ou comprado pelo próprio combatente.

Em Kharkiv, um grupo de homens montou galpões pré-fabricados de compensado, muito mais confortáveis no inverno que as barracas. Há várias famílias que fazem vaquinha para comprar coletes protetores para um filho ou sobrinho.

“O que está acontecendo com nosso governo? O inverno está aí, e os soldados não têm roupas quentes. Eles vão ter que ficar na neve, dormir nas trincheiras, e são as crianças que estão mandando meias para eles!”, diz Anastasia Kuznetsova, 22, assistente social de Dnepropetrovsk que ajuda a coordenar as doações. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave