Último ato é teste para 2015

Com titulares já de férias, jogo que fecha o Brasileirão contra o Botafogo vira chance para suplentes

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Chance. Reservas do Galo querem mostrar que podem ser titulares na próxima temporada, que começa com o Estadual, em fevereiro
Fotos Bruno Cantini/divulgação
Chance. Reservas do Galo querem mostrar que podem ser titulares na próxima temporada, que começa com o Estadual, em fevereiro

A temporada 2014 do Galo terminou antes do fim – com o título da Copa do Brasil e as chances de uma classificação melhor no Brasileiro diminuídas com a derrota para o Coritiba – e, por isso, a partida de hoje contra o rebaixado Botafogo, em Brasília, pouco importa aos atleticanos. Mas não todos. Se os titulares tiveram as férias antecipadas, os reservas têm no duelo desta tarde um motivação extra para mostrar ao técnico Levir Culpi que podem ser úteis em 2015.

Os garotos das categorias de base que ganharam espaço no ano – como Carlos, Dodô, Eduardo, Alex Silva Marion e Paulinho – viajaram para a capital federal. Além deles, contratações menos badaladas da temporada, como o zagueiro Tiago e o volante Claudinei também devem participar do jogo. Ao lado dos volantes Pierre e Josué, este último com contrato no fim, o zagueiro Réver, há quase quatro meses sem jogar, serão os mais experientes do time. “O jogo ficou meio esquisito pelas circunstâncias do campeonato. Mas nós queremos terminar bem. Os jogadores devem ser respeitados e querem jogar bem”, ponderou o técnico Levir Culpi, que renovou contrato para a próxima temporada e, logicamente, já pensa nas peças que poderá aproveitar em 2015. Os atletas que irão a campo mantêm o discurso de dedicação. “É uma equipe diferenciada, mas o compromisso é o mesmo”, avaliou o volante Josué. Já aqueles que já estão de férias sabem que a partida funcionará como uma espécie de teste para os demais. “Tem jogadores novos que estão entrando querem mostrar serviço”, destacou o atacante Diego Tardelli. A partida no Distrito Federal marcará a volta do capitão Réver, de fora da equipe desde agosto. O jogador passou por uma cirurgia no tornozelo esquerdo. Neste período, o Atlético revelou o jovem zagueiro Jemerson, que passou a atuar ao lado de Leonardo Silva. “Independente do time que vai entrar em campo, a obrigação é sempre de vencer. Todos querem o espaço e mostrar que têm condição”, destacou o defensor. “Fiquei parado, mas todos sabem do meu potencial”, completou Réver. Sub-20. Depois do empate sem gols com a Chapecoense na primeira rodada do Campeonato Brasileiro Sub-20, o Atlético volta a campo neste domingo, às 15h, para enfrentar o Goiás. O Galinho está no grupo B da competição, com sede em Gravataí (RS).

Martírio do Botafogo termina no estádio Mané Garrincha A partida deste domingo marca a melancólica despedida do Botafogo da Série A do Campeonato Brasileiro. Pela segunda vez em sua história, a equipe é rebaixada para a Segunda Divisão. A primeira aconteceu em 2002. Os graves problemas financeiros se refletiram dentro de campo. Salários atrasados e dispensa de jogadores levaram o time do técnico Vágner Mancini para o buraco. Ídolo do clube, o goleiro Jefferson nem entrará em campo. A comissão técnica decidiu antecipar o descanso do jogador e o liberou para as férias. Helton Leite, filho do ex-goleiro atleticano João Leite, deve ser o titular. Mesmo antes da confirmação do rebaixamento, o Botafogo já tinha resolvido mandar a partida na capital federal. A intenção é ter uma boa arrecadação. Desde que o estádio foi reformado para a Copa, a equipe carioca já levou três partidas para Brasília. O Atlético, que possui bom número de torcedores no Distrito Federal, também já atuou na nova arena. Em agosto do ano passado, enfrentou o Flamengo e foi derrotado por 3 a 0.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave