Os efeitos da persistência

Na trama de “Boogie Oogie”, Lyv Ziese conta como foi se preparar para viver uma jovem da década de 1970

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

“Sempre amei os bastidores do teatro. Aquela tensão de entrar em cena. Mas me apaixonei pela TV”
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
“Sempre amei os bastidores do teatro. Aquela tensão de entrar em cena. Mas me apaixonei pela TV”

Persistência é a palavra que rege a vida de Lyv Ziese. A intérprete de Magali de “Boogie Oogie” é do tipo que não desiste no primeiro “não” que recebe. Prova disso é que, para integrar o elenco da novela das seis, passou por uma série de testes na Globo. “Fiz três audições praticamente seguidas para três produções diferentes. Tinha na cabeça que alguma hora ia dar certo”, diz, com o entusiasmo e um brilho no olhar digno de quem batalhou muito para chegar onde está. No folhetim de Rui Vilhena, a atriz interpreta uma cantora e dançarina da boate que dá nome à novela. Para isso, precisou cantar “I Will Survive”, clássico que ficou conhecido na voz de Gloria Gaynor, para ganhar o papel da doce Magali. Como só entrou no capítulo 30, Lyv não participou dos workshops promovidos para inteirar o elenco sobre a década de 70. “Então, para me preparar, vi o que já tinha pronto da novela e mergulhei no universo musical dessa época”.

Natural do Rio de Janeiro, Lyv vem de uma longa carreira no teatro, principalmente musical. “Comecei como escape da escola, que era muito puxada”, relembra. Na TV, seu primeiro trabalho foi “Bicicleta e Melancia”, seriado apresentado pelo Multishow em 2010. Logo depois, participou de uma temporada de “Malhação”, em 2013. “Sempre amei os bastidores do teatro. Aquela tensão de entrar em cena. Mas me apaixonei pela TV, pelo movimento das câmeras. Agora, meu objetivo é conseguir conciliar os dois”, planeja. Preferências

Ator: Fabrício Boliveira

Atriz: Fernanda Montenegro Novela que gostaria que fosse reprisada: “Laços de Família”, exibida pela Globo em 2000. Vilão marcante: Marta, de Lília Cabral, em “Páginas da Vida”, novela exibida pela Globo em 2006. Filme: “Uma Linda Mulher”, de Garry Marshall, lançado em 1990 Livro: “Tchau”, de Lygia Bojunga. Diretor: Quentin Tarantino Um momento marcante na carreira: Quando passei no teste para “Rock in Rio – O Musical”, em 2013

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave