Preços de serviços começam a dar sinais de queda

Setor mostra efeitos de retração de consumo

iG Minas Gerais |

Trégua. Serviço de transporte escolar é exemplo de menor alta
O TEMPO 26/07/2010
Trégua. Serviço de transporte escolar é exemplo de menor alta

RIO DE JANEIRO. Um das grandes fontes de pressão sobre a inflação, os serviços começam finalmente a dar sinais de trégua. Depois de quatro anos seguidos de aceleração, e momentos em que os preços de alimentação fora de casa, consultas médicas e entretenimento estiveram completamente descolados do ritmo da economia – como em 2011, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1%, e os preços dos serviços, quase 9% – agora eles mostram os primeiros efeitos da desaceleração da renda, da retração do consumo e do PIB quase estagnado.

Neste ano, os preços de serviços ficarão em 8%, pela estimativa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Para o ano que vem, a aposta é que o movimento continuará, com a alta dos serviços ficando em 7,5%, ou até menos.

Nos últimos 12 meses, os serviços subiram 8,28%. Já a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), até novembro, estava em 6,56%.

Levantamento do Ibre mostra que não só a inflação dos serviços perdeu fôlego, na média, como também encolheu a parcela desses itens cujos preços subiram mais de 9%. Em meados do ano passado, ápice da alta nos preços de serviços, 70% subiam em ritmo superior ao teto da meta. Agora, 60% estão acima da meta – menor percentual desde setembro de 2012.

Transporte escolar, por exemplo, que avançou em meados de 2013 10,3%, agora sobe 6,3%. Já limpeza de carro, que no final de 2013 subia 12%, agora viu essa alta cair à metade.

Ajuste na inflação já começou RIO DE JANEIRO. “É algo para se comemorar, claro que com cautela, mas mostra que o ajuste na inflação já começou. Esse processo veio para ficar e é necessário para trazer a inflação mais perto de 4,5% em 2017”, afirma Silvia Matos, coordenadora do Ibre, da Fundação Getulio Vargas. Mas ainda são muitos os serviços que compõem um núcleo mais resistente. Caso da refeição fora, que sobe cerca de 9,5% há vários meses. Também continuam sob pressão os serviços de manicure, ensino privado e plano de saúde.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave