Em clássico emocionante, Minas supera o Montes Claros

Time minastenista vence bem os dois primeiros sets, perde os dois seguintes, e precisa do tie-break para bater o oponente

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Esportes - Belo Horizonte, Mg. 
Minas x Montes Claros , pela Superliga Masculina de Volei. 
Foto: Pedro Gontijo / O Tempo - 06.12.14
PEDRO GONTIJO / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte, Mg. Minas x Montes Claros , pela Superliga Masculina de Volei. Foto: Pedro Gontijo / O Tempo - 06.12.14

Uma vitória dramática, no tie-break, e com a assinatura do cubano Escobar. O ponta do Minas Tênis Clube anotou 32 pontos e foi o termômetro da equipe em quadra na vitória por 3 sets a 2 sobre o Montes Claros Vôlei, neste sábado, na Arena Minas, com parciais de 25/18, 25/13, 20/25, 21/25 e 15/11, em 1 hora e 59 minutos de jogo.

Nos sets vencidos pelo clube da capital, o gringo fez a diferença sendo o maior pontuador, comandou as ações da equipe e cravou, inclusive, o ponto que decidiu o triunfo minastenista. “Fico feliz por ter sido importante para a vitória”, limitou-se a dizer Escobar, que ainda não fala português.

Com o resultado, o Minas somou 18 pontos e segue na luta pela quarta posição com o Sesi. Como venceu dois sets, o Montes Claros ganhou um ponto e agora está com 13, pontuação que o deixa, até o fim da rodada, no grupo dos oito primeiros colocados.

Na próxima rodada, a última do turno, a equipe da capital vai até Mariana enfrentar o Vôlei Sul-Paquetá-RS. Já o Pequi Atômico viaja São Paulo e enfrenta um dos líderes da Superliga, o Vôlei Brasil Kirin-SP.

O clássico mineiro começou com o Minas bem melhor e dominando os dois sets iniciais. Com um ataque eficiente, tanto pelas pontas quanto pelo meio, e com o cubano Escobar inspirado, os donos da casa mantiveram-se sempre à frente do placar, anulando as principais jogadas e evitando a reação do adversário.

No primeiro set, os minastenistas venceram por 25 a 18, após 26 minutos de bola rolando. No segundo, a vitória foi ainda mais tranquila, com 25 a 13, em 21 minutos.

Os dois sets seguintes foram dominados pelo Montes Claros, que voltou com outra postura em quadra. Eles conseguiram se encaixar melhor no jogo, diminuíram a quantidade de erros e passaram a variar mais as jogadas. Assim, o clube do Norte do Estado venceu o terceiro set por 25 a 20, após 25 minutos.

No quarto, o Pequi Atômico seguia ligeiramente melhor e, aproveitando-se de erros dos donos da casa quando o placar marcava 18 a 18, eles abriram vantagem e fecharam o quarto set em 25 a 21, em 26 minutos.

No início, o tie-break foi disputado ponto a ponto. A jogo virou a favor do Minas quando o técnico do Pequi Atômico, Marcelo da Silva Ramos, por reclamação, levou cartão vermelho, o que deu o sétimo ponto para os donos da casa, contra cinco de sua equipe. Com dois pontos de Canuto, um de bloqueio e outro de ataque, o Minas abriu 9 a 5, administrou e viu a estrela de Escobar brilhar novamente. O cubano marcou seis pontos e, em uma cravada, fechou o quinto set em 15 a 11, em 18 min, e decretou o triunfo do Minas.