Santos cancela eleição presidencial após falhas e suspeita de fraude

Dez urnas eletrônicas instaladas no clube para a votação tiveram problemas técnicos e não funcionaram; troca por cédulas de papel geraram confusão

iG Minas Gerais | FOLHA PRESS |

As eleições presidenciais do Santos foram canceladas por suspeita de fraude. As dez urnas eletrônicas instaladas no clube para a votação tiveram problemas técnicos e não funcionaram. Foi decidido que a votação seria por cédulas. Mas não tardou para dar confusão na opção pelo voto no papel.

Um mesário foi acusado de oferecer duas cédulas para sócio da situação. O incidente gerou interrupção da votação. A urna sete foi retirada e o mesário impedido de prosseguir o trabalho. Por conta da acusação de fraude, foi entendido que seria necessária uma nova eleição, marcada para o próximo sábado, às 10h.

O aviso do cancelamento provocou revolta nas centenas de associados presentes no Salão de Mármore do clube. Muitos ficaram horas sob sol intenso na rua Princesa Isabel.

Eram esperados 8 mil sócios neste sábado para escolher o presidente que governará o Santos pelos próximos três anos.

Associados de chapas opositoras acusam os organizadores da eleição de provocar pane proposital das máquinas. Segundo eles, o objetivo do atraso era cansar sobretudo sócios idosos na fila, fazendo com que alguns santistas desistissem de votar.

A eleição santista estava sendo realizada em São Paulo, na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF). Na Federação, a votação transcorria normalmente até receberem a informação do cancelamento na Baixada Santista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave