Carne joga inflação para o alto

Secretário que havia dito para trocar o alimento por tomate agora não sugere nada

iG Minas Gerais |

Salgado. Os tradicionais churrascos de fim de ano vão ficar mais caros: em 12 meses, a carne já subiu 20,56%, segundo o IBGE
Samuel aguiar – 8.10.2012
Salgado. Os tradicionais churrascos de fim de ano vão ficar mais caros: em 12 meses, a carne já subiu 20,56%, segundo o IBGE

Brasília e Rio de Janeiro. O IPCA, índice oficial de inflação do país, acelerou e fechou o mês de novembro em 0,51%, acima dos 0,42% de outubro. Os dados foram divulgados ontem pelo IBGE. Com esse resultado, o índice acumula uma alta de 5,58% neste ano. Já o indicador em 12 meses até novembro ficou em 6,56%, superior ao teto da meta do governo, fixado em 6,5%, pelo quarto mês seguido. Uma das maiores preocupações do governo em 2014, e que se manterá em 2015, a inflação em novembro subiu na esteira de aumentos de alimentos, com alta de 0,77%, e habitação, com aumento de 0,69%.

Pelo terceiro mês seguido, a carne foi o item que mais peso, contribuindo com 0,09 ponto percentual da taxa de inflação. Os preços subiram em média 3,46% em novembro, mais que em outubro (1,46%), e acumularam alta de 17,81% no ano, e de 20,56% em 12 meses. Segundo a coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, a carne representa 2,7% do IPCA. “Isso é muita coisa”, afirmou. “Durante todo o ano, a carne exerceu pressão sobre o custo de vida, e hoje já estamos perto de 18% de aumento”. A culpa, em parte, é do clima. “A seca prejudica os pastos, não há gado suficiente para abate. Além disso, as exportações têm sido muito fortes, principalmente para a Rússia, que deixou de comprar dos Estados Unidos para comprar do Brasil. Não só carne, mas queijo e frango. Então, é uma pressão de demanda”, disse. O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, também destacou que os preços de alimentação e bebidas subiram em função de seca e do período de entressafra. “Há uma aceleração de alimentos já esperada para este momento do ano”, disse. Em Boca fechada não entra mosquito. Questionado se o brasileiro deveria trocar a carne pelo peru, no Natal, o secretário disse que não faz recomendações de consumo à sociedade. “Eu nunca faço recomendações à sociedade, ela escolhe os produtos que quer consumir”, afirmou. Em outubro deste ano, ao comentar a inflação das carnes, Holland havia sugerido que o brasileiro poderia trocar a proteína bovina por ovo ou tomate, substitutos com preço melhor, frase que foi usada pela campanha da oposição à Presidência da República.

Combustíveis Gasolina. Em segundo lugar nos impactos sobre a inflação está a gasolina. De acordo com o IBGE, o preço do litro ficou 1,99% mais caro, refletindo parte do reajuste de 3% nas refinarias.

Positivo O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, avaliou como positivo o resultado do IPCA. Ele lembrou que o indicador veio abaixo da mediana das previsões e abaixo do resultado observado em novembro de 2013: 0,51% agora contra 0,54% em novembro passado.

Cabe na meta Os técnicos do IBGE projetaram que, para a inflação ficar dentro da banda da meta, que é de 6,5% no ano, o IPCA pode chegar até a 0,86% em dezembro. “As previsões indicam que há grande chance de a inflação ficar dentro das bandas da meta”, afirmou o secretário Márcio Holland.

Serviços A inflação de serviços ficou em 0,46% em novembro, mas chega a 8,28% no acumulado de 12 meses. Os principais impactos do setor de serviços no mês, segundo o IBGE, foram o conserto de automóvel, a refeição fora de casa, aluguel e cabeleireiro. Em seguida vem empregada doméstica.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave