Custo de operação da energia sobe 20%

Com chuvas menores do que o previsto, preço foi elevado

iG Minas Gerais |

São Paulo. O Operador Nacional do Sistema (ONS) divulgou ontem a primeira revisão das projeções de volume de chuvas e nível de reservatórios para o mês de dezembro, e as indicações mostram números menos favoráveis do que aqueles anunciados uma semana atrás. A sinalização de menor volume de chuvas nas regiões Sudeste e Sul levou o operador a elevar o custo marginal de operação (CMO) semanal de R$ 549,83/MWh na semana passada para R$ 659,76/MWh, valor válido para os quatro subsistemas (Sudeste, Sul, Nordeste e Norte).

A despeito da elevação de 20% na comparação entre as duas semanas, o patamar do CMO indica que o preço de liquidação das diferenças continuará abaixo do patamar teto de R$ 822,83/MWh estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O PLD, valor utilizado nas operações de compra e venda de energia no mercado de curto prazo, é balizado justamente pelos valores do CMO e permaneceu no patamar máximo durante seis semanas entre os meses de outubro e novembro.

O ONS projeta que a Energia Natural Afluente (ENA) no Sudeste do país, região responsável por 70% do armazenamento de água nas usinas hidrelétricas, ficará em 94% da média de longo termo (MLT) do mês de dezembro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave