A união faz a alma

iG Minas Gerais |

“É a propaganda que constrói a imagem e a percepção das marcas, é ela que ajuda as marcas a promover suas vendas”
LF/Mercado/divulgação
“É a propaganda que constrói a imagem e a percepção das marcas, é ela que ajuda as marcas a promover suas vendas”

O Sindicato das Agências de Propaganda de Minas (Sinapro MG) festejou seus primeiros 35 anos no Meet–Porcão. Olha a propaganda aí! André Lacerda é seu atual presidente, continuando a trajetória de sucessos e desafios de seus antecessores. Com ele, um Raio X da nossa propaganda, mostrando até a alma.

 

André, o Sinapro acaba de comemorar seus primeiros 35 anos. É possível um rápido balanço desta trajetória?  

 

A trajetória do Sinapro MG é na verdade um grande sucesso.  Somos um dos três maiores Sindicatos de Agências de propaganda do Brasil, temos uma sequencia de bons presidentes onde cada um deu continuidade ao bom trabalho desenvolvido pelo anterior e isto nos fez chegar onde estamos hoje.  E agora estamos preparados para dar o salto para o fortalecimento da posição estratégica das agências de propaganda como integradores e fomentadores de todos os fornecedores do mercado de comunicação.

 

O grande encontro anual, como o do dia 3, é apenas uma confraternização ou também espaço para negócios?  

 

O evento é antes de tudo uma grande festa que tem um formato idealizado para as pessoas se comunicarem, trocarem experiências e fazerem relacionamentos.  Na verdade o negócio começa com relacionamento então é natural que, de alguma forma, tudo ajude ao processo de fechamento de negócios.  Ma o evento é uma festa para comemorarmos os 35 anos do SINAPRO MG e seu relacionamento com o Mercado.

 

Qual o lugar da propaganda mineira no Brasil? 

 

A propaganda mineira é reconhecida como uma propaganda de grande qualidade.  Temos ótimas agências no estado e somos um grande exportador de mão de obra qualificada e ótima qualidade para os grandes mercados.

 

Qual o maior desafio da propaganda mineira? 

 

Neste momento o nosso principal desafio é nos unirmos, agências, veículos e fornecedores para podermos mostrar aos anunciantes e ao mercado que demanda a nossa prestação de serviços toda a nossa capacidade em inovar e em apresentar soluções que resolvem os problemas de comunicação dos clientes.  Temos de nos unir para ajudar o mercado a se desenvolver.  Fomentar o aparecimento de novos anunciantes, nos relacionarmos com as entidades do comércio, da indústria, da construção civil, da prestação de serviços.  Nos apresentarmos com um grupo que age unido em defesa da sua capacidade e da sua prestação de serviços.

 

Falta união entre agências e profissionais

 

Na verdade falta o desenvolvimento de uma pauta positiva comum, onde todos possamos juntar esforços e inteligências para percebermos e desenvolvermos o mercado.

 

Como vê a saída de grandes contas mineiras para São Paulo? 

 

Vejo como um processo que segue uma normalidade.  O cliente muda seus profissionais, muda o seu processo de gestão e muda o seu processo decisório.  A saída das grandes contas tem a ver com esta decisão estratégica destas empresas.

 

A propaganda ainda é a alma do negócio? 

 

Sim a propaganda ainda é a alma do negócio.  É a propaganda que constrói a imagem e a percepção das marcas, é ela que ajuda as marcas a promover suas vendas.  Não adianta se iludir, existe uma forma certa de custo beneficio adequado de propaganda para qualquer cliente.  Tudo parte de uma boa conversa deste cliente com especialistas, as agências de propaganda, que vão construir com ele o melhor caminho a trilhar.

 

O mineiro é bom anunciante? 

 

Como em qualquer negócio o mineiro tem a sua personalidade e jeito peculiares para investir em propaganda. Às vezes falta planejamento e prioridade em investir nas suas marcas e negócios. O mineiro aposta em utilizar o seu “estoque de imagem” ao invés de renovar os seus esforços em reforçar a sua percepção pelo consumidor.

 

Como nossas revistas e jornais conseguem sobreviver neste difícil panorama? 

 

Todos juntos temos de pensar e refletir sobre os novos desafios que aparecem com a mudança e a evolução dos meios.  O setor da mídia impressa está justamente em um momento de reflexão e descoberta de novos formatos comerciais, mensuração de resultados.  Enfim a verdade é que toda crise significa também oportunidade. Temos todos de nos reunir para juntos descobrirmos e desbravarmos o caminho do novo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave