A incrível maratona do título

Números e comparações comprovam a exaustiva jornada até o tetracampeonato brasileiro

iG Minas Gerais | Diego Costa / Josias Pereira |

O que é possível fazer em 120 horas, ou melhor, cinco dias? Pois foi o tempo que o Cruzeiro precisou para vencer o Brasileirão, o Estadual, chegar à final da Copa do Brasil e disputar a Libertadores. De quebra, ainda sobrou um tempinho para fazer uma pequena excursão aos Estados Unidos.

A situação ajuda a entender o que foi a temporada do Cruzeiro em 2014. O valor leva em consideração somente a soma do tempo médio das 76 vezes que a Raposa esteve em campo neste ano (contando a partida deste domingo, contra o Fluminense). No fim da maratona, em praticamente todas as entrevistas na véspera, durante e no pós-jogo, a palavra “desgaste” marcava presença. O técnico Marcelo Oliveira chegou a destacar que o Cruzeiro “pagava o preço” por estar disputando dois títulos. Era o líder do Campeonato Brasileiro e ainda tinha a decisão contra o arquirrival, o Atlético, valendo a Copa do Brasil. O Galo levou a taça. A crítica ao calendário local tem fundamento. Em uma temporada praticamente perfeita do Bayern de Munique, de 2012/2013, a equipe fez 68 jogos. A caminhada rendeu para equipe a Liga dos Campeões, o Campeonato Alemão, a Copa do país e a Supercopa germânica. Até mesmo o papa Francisco ficaria mais cansado se tivesse de dar uma mãozinha para um time brasileiro. O clube do coração do pontífice, o San Lorenzo-ARG, precisou de 56 jogos para terminar uma temporada com o Torneio Apertura (o primeiro turno do Campeonato Argentino) e a Copa Libertadores da América. Se ele fosse cruzeirense, seriam mais 20 jogos de reza, terços, e por aí vai. “A cabeça quer fazer uma coisa, mas o corpo não acompanha. Podemos ressaltar que o Cruzeiro jogou cinco jogos com caráter de finais, porque nosso foco eram os dois campeonatos, sempre foi muito difícil. A equipe está de parabéns, porque foi campeã brasileira duas vezes seguidas”, disse o lateral-direito Ceará, destacando a façanha azul.

Real descarta contratações Madri, Espanha. O técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, afirmou nesta sexta que não tem a intenção de contratar atletas para equipe durante a janela de transferências de janeiro. O clube espanhol tem sido apontado com um dos interessados no futebol do volante Lucas Silva. “Estou feliz com o plantel que tenho, não temos necessidade de contratar alguém em janeiro”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave