Porque o novo sempre vem

iG Minas Gerais | Giselle Ferreira |

A cantora e compositora paulistana Iara Rennó é a atração da próxima terça (9)
Luís Dávila/Vila Imagem
A cantora e compositora paulistana Iara Rennó é a atração da próxima terça (9)

Se aos 7 anos Iara Rennó já fazia música sem dificuldades, hoje ela canta, compõe, toca, produz, atua e dramatiza sem descer do salto. Artista do tipo daqueles que não conseguem dar vazão à metade do que produz – tamanha a verve criativa –, Iara é o típico performer que a Mostra Cantautores visa apresentar. Com a proposta de oferecer ao público shows solo de artistas multitalentosos, a mostra chega à sua quarta edição e tem início na próxima segunda (8), no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna.

A abertura fica por conta de uma aula-show do músico e professor paulista Zé Miguel Wisnik (Grupo Rumo) e do lançamento do disco “Roendopinho”, do carioca Guinga. O mineiro Sérgio Santos, o paulista Tó Brandileone, o baiano Tiganá Santana e o português JP Simões completam o time de cantautores a participar da ode à canção. Iara toca na terça (9).

“Essa é a maior edição do projeto até agora, sem dúvida. Todas as outras foram maravilhosas, mas essa acho que está especial. Todos esses nomes tarimbados, de expressão, de artistas velhos de guerra, junto com os novatos em que estamos apostando – é uma galera que está produzindo coisa muito boa”, comenta a artista Jennifer Souza (Transmissor), idealizadora do projeto ao lado de Luiz Gabriel Lopes (Graveola).

“São 14 artistas inéditos pra nós. Além dos nomes conhecidos, tem outros que nunca tocaram sozinhos, como a Laura Catarina (Dom Pepo), o Téo Nicácio (Trio Batucanto). E tem uma coisa muito massa que é a diversidade: o André Travassos (Câmera) compõe em inglês, vem de algumas bandas de folk rock; e aí tem o Tiganá Santana, que canta em dialetos africanos; e tem gente como o Wisnik, o Guinga, a Iara. Essa foi uma das nossas maiores preocupações: trazer gente que dialoga com todo mundo”, diz Jennifer, ressaltando a difusão como outra das vontades dessa quarta edição. A convite da mostra, “para furar o bloqueio midiático”, os jornalistas Leonardo Lichote e Lauro Lisboa Garcia vão acompanhar os sete dias de programação. Um debate com a presença deles (“Artistas, Público, Imprensa: Onde Está o Gargalo?”) está programado para o dia 13 (sábado), às 16h30, na sede do Espanca!.

Bethânia

Para mostrar que o ofício de compositor é um trabalho sem fórmula, sem segredos e sem fim, Iara Rennó, que é filha dos compositores Carlos Rennó e Alzira Espíndola, promete mostrar canções inéditas e outras de várias fases de sua carreira. “Talvez toque ‘Leve’ (que Ney Matogrosso gravou em ‘Inclassificáveis’) e ‘Mandingueira’ (sucesso na voz de Elza Soares). Eu tenho vários tipos de músicas e vou mostrar isso. Vai ser uma panorâmica”, conta a artista, que, na contramão desta apresentação, tem apostado mais em sua veia de intérprete.

Ela estreou, em novembro, o show “Drama”, com releituras do disco homônimo que Maria Bethânia lançou em 1972 acrescido de canções de Adoniran Barbosa & Vinicius de Moraes (“Bom Dia, Tristeza”), Chico Buarque (“Baioque”), Paulo Marques & Alice Chaves (“Lama”) e autoral (“Miligramas”). “É, ao mesmo tempo, homenagem à Bethânia, desafio e aposta no meu lado cantora”.

PROGRAMA-SE

Teatro Oi Futuro  (av. Afonso Pena, 4.001, Serra, 3229-3131)    Segunda (8) 18h Rafael Martini (MG) + Zé Miguel Wisnik (SP) 20h30 Pedro Carneiro (RJ) + Guinga (RJ)   Domingo (14)  17h Luiza Brina (MG) + Tó Brandileone (SP)  19h Pablo Castro (MG) + Sergio Santos (MG)    Funarte MG (r. Januária, 68, Floresta, 3213-7112)   Terça (9) 20h30 Pamelli Marafon (MG) e Iara Rennó (SP)   Quarta (10) 20h30 Laura Catarina (MG) e Téo Nicácio (MG)   Quinta (11) 20h30 William Serra (MG) e Thiago Amud (RJ)   Sexta (12) 20h30 Vinikov (MG) e André Travassos (MG)   Sábado (13) 20h Tiganá Santana (BA) 21h30 JP Simões (POR)

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave