Sobre o sagrado, o sublime e o corpo

iG Minas Gerais | Giselle Ferreira |

Eliana Carneiro se baseia em religiões para montar dança
Ana gilioli/divulgação
Eliana Carneiro se baseia em religiões para montar dança

Dando continuidade à busca que iniciou nos anos 1980, Eliana Carneiro estreia na Furnarte MG o solo “Imagens do Sagrado – Blima”, na próxima quinta (11). No espetáculo, a intérprete e diretora carioca se baseia no “Livro da Criação – Kabbalah” (sistema místico dos judeus) para compor uma coreografia de movimentos ritualísticos. É o corpo em transe perseguindo o sagrado, o êxtase e o sublime.

No centro de uma roda, Eliana lança mão de muitos olhares e da respiração para se comunicar com o público, como se as pessoas ali presentes fossem outros personagens do ritual que ela promove. “As religiões, e como o corpo se altera nessa relação com o divino, me interessam. Percebi que existem gestos ritualísticos muito presentes em várias culturas. Nas pinturas sacras, nos desenhos egípcios, nos esboços de Leonardo Da Vinci, na cultura hebraica, africana, indiana, cristã: estão em todas elas os gestos de exaltação. De alguma maneira, porém, esse é um tema pouco explorado na dança e no teatro”, conta Eliana.    Em constante diálogo com as seis direções (norte, sul, leste, oeste, acima e abaixo), os quatro elementos (terra, água, fogo e ar) e os dez ramos da árvore da vida, a peça é feita de muitos silêncios e pontuada por algumas canções. “É uma trilha bem inspiradora, que cria auras místicas capazes de transportar as pessoas”, garante Eliana.    Na quarta (10), às 17h, Eliana ministrará a oficina gratuita “Dança Teatro: O Sagrado na Dança e no Corpo” e na quinta (11), após a estreia, haverá bate-papo com o público.    Imagens do Sagrado – Blima Um solo de Eliana Carneiro Funarte MG (r. Januária, 68, Floresta, 3213-3084). De quinta (11) a sábado (13), às 19h. R$ 20 (inteira).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave