Presidente da Transpetro pede prorrogação de afastamento

Sérgio Machado terá mais 30 dias afastamento não remunerado; ele foi citado na investigação da Lava Jato como beneficiário do esquema que fraudava contratos com a empresa

iG Minas Gerais | Da Redação |

O presidente da Transpetro, Sérgio Machado, pediu prorrogação de seu afastamento não remunerado por mais 30 dias. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (5) pela empresa, subsidiária da Petrobras. Desde o dia 3 de novembro, Machado estava afastado do cargo. A razão, segundo a Transpetro, era facilitar auditoria interna na Petrobras, feita pela empresa PriceWaterhouseCoopers (PwC).

Machado foi citado na investigação da Operação Lava Jato, pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, como beneficiário do esquema que fraudava contratos com a empresa. Ainda em novembro, Machado se defendeu das acusações feitas contra ele.

“Reafirmo: tenho muito orgulho de minha gestão na Transpetro. E acrescento: nada devo nem temo em relação à minha trajetória. […] A acusação é francamente leviana e absurda, mas mesmo assim serviu para que a auditoria externa PwC apresentasse questionamento perante o Comitê de Auditoria do Conselho de Administração da Petrobras”.

Em seu lugar, Claudio Campos, diretor de Gás Natural, permanece no exercício da presidência da companhia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave