Brasil faz 1ª operação de segurança com todos os Estados após a Copa

Ação foi baseada no sistema de segurança montado para o Mundial que criou centros de comando nas cidades-sede dos jogos e integrou todas as polícias do país; resultados finais serão divulgados na próxima segunda (8)

iG Minas Gerais | Da Redação |

Nesta sexta-feira (5) o país realiza pela primeira vez uma operação nacional com todos os 27 estados e o Distrito Federal envolvendo todas as forças policiais dos municípios, Estados e a União para combater o crime organizado. A operação Brasil Integrado começou na madrugada desta sexta e terminará à meia-noite e desde o início da semana teve ações de preparação.

Os resultados finais da operação serão divulgados na próxima segunda-feira (8), mas para o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) os resultados parciais são "animadores" e a operação já pode ser considerada como um marco na história da segurança pública do país. Segundo o ministro, 20 mil pessoas atuam nesta operação."Isso mostra que estamos no caminho certo. Os governadores, independente de quem sejam, independente de partido, agora sabem encarar a segurança pública como política de Estado. Portanto, no dia de hoje, estamos dizendo que é possível fazer sim operações nacionais integradas. Nesse momento, o Estado brasileiro começa a mudar seu patamar de segurança pública", disse o ministro.

A operação foi baseada no sistema de segurança montado para a Copa do Mundo, que criou centros de comando nas cidades-sede dos jogos e integrou todas as polícias do país em ações conjuntas. "Desde o final da Copa tivemos um plano discutido e dialogado com todos os Estados para sanar um dos principais problemas em todo o país que é a busca da superação da falta de integração entre as policiais. Na Copa isso deu certo e demonstrou até para os céticos que quando os órgãos estão unidos temos resultados efetivos", afirmou Cardozo.

Desde o final do mundial, o governo comandou outras três operações integradas mas com a participação de alguns Estados. "A partir dessas experiências decidimos ousar e fazer uma operação que encerra essa primeira fase e é a que estamos fazendo hoje. Essas operações devem ser vistas como protótipos, projetos iniciais. Elas nos levarão a uma ação permanente.", explicou.

Atualmente existem 12 centros regionais de comando em operação e dois centros nacionais, um em Brasília e outro, no Rio de Janeiro. A intenção do governo é construir os centros em todas as capitais do país. Cardozo acredita que isso poderá ser realizado até o início de 2016.

A iniciativa de integrar todas as policias do país foi uma das promessas de campanha da presidente Dilma Rousseff para a sua reeleição. Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou um projeto que altera a Constituição para incluir a União como uma das responsáveis pela segurança pública no país. "O que estamos fazendo como experiência tem que ser rotina. O crime organizado será asfixiado no país. Terão dificuldades de transportar drogas, armas, e de arrecadar recursos", afirmou Cardozo.

Os secretários de segurança dos estados do Rio Grande do Sul, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Acre, Goiás, Bahia, Amazonas, Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal estiveram em Brasília para discutir o modelo com Cardozo e acompanhar a operação a partir do Centro Nacional de Comando Integrado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave