Perda de articuladores torna tortuoso o caminho da Rede

Walter Feldman é a oitava liderança a deixar o projeto de criação do partido de Marina Silva

iG Minas Gerais | Do Aparte |

A Rede Sustentabilidade continua na sua árdua tarefa para deixar de ser uma sublegenda e transformar-se em partido oficialmente registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mas a tarefa de buscar as milhares de assinaturas restantes continua sofrendo baques com a perda de importantes lideranças. Depois de sete importantes coordenadores deixarem a futura sigla, em outubro, quando Marina Silva anunciou apoio a Aécio Neves (PSDB) no segundo turno, na quinta-feira aquele que era considerado o número 2 da legenda, por ser o grande porta-voz da Rede, tomou o mesmo caminho: Walter Feldman confirmou que está se afastando da função de articulador para se tornar secretário-geral da Federação Paulista de Futebol (FPF). O objetivo, segundo nota da própria Rede, é a preparação de Feldman para assumir “um cargo de chefia na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a partir de abril do ano que vem. Feldman irá trabalhar com o atual presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, que assumirá a entidade. Embora continue filiado ao grupo, Walter Feldman avisou: “Não poderei continuar com funções e tarefas na Rede”.  Com isso, um novo porta-voz terá que ser escolhido, em reunião no fim de semana dos dias 13 e 14 próximos. Por enquanto, a função é de Gabriela Batista, membro da Juventude da Rede e porta-voz feminina do partido. A reunião também servirá para escolher os titulares para os cargos dos sete coordenadores da Rede que deixaram o grupo em outubro. Na quinta-feira, a Rede soltou mensagem em seu site agradecendo, despedindo-se deles e afirmando esperar novas convergências no futuro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave