Tardelli reunirá com diretoria para definir seu futuro

O atacante indica que propostas já chegaram para a diretoria do Atlético e todos os detalhes estão sendo avaliados

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Tardelli celebra gol marcado sobre o Cruzeiro, no último domingo
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Tardelli celebra gol marcado sobre o Cruzeiro, no último domingo

Novas aventuras, um alto salário. Diego Tardelli concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira em clima de despedida, deixando claro que as cartas estão na mesa e sua saída é iminente. O atacante indica que propostas já chegaram para a diretoria do Atlético e todos os detalhes estão sendo avaliados.

“O presidente (Daniel Nepomuceno) já confirmou. Todos estão cientes (das propostas). Meu empresário está aqui para resolver essa situação. Vamos esperar até semana que vem para ver o que resolve”, disse Tardelli.

Um dos fatores que motivam uma possível saída é o ano difícil vivido pelo Galo na área financeira, com atrasos de salários, direitos de imagem e premiação. Algo que segue como uma questão a ser resolvida.

“Nesses quatro anos com idas e vindas eu sempre me dediquei ao clube. Vim do Catar com um salário mais baixo. Abri mão de muitas coisas. Mesmo com os problemas internos, eu sempre pensei no melhor do clube. Chegou a hora deu pensar em mim, na minha família. Por isso que tem a proposta. Vou ter uma conversa hoje ou amanhã com o presidente e definir o meu futuro”, afirmou o camisa 9.

Diego Tardelli, porém, evita confirmar a despedida de maneira imediata, dando um pingo de esperança para o torcedor mais apaixonado. O avante indica que as conversas com a diretoria podem mudar a atual realidade, mas que a parte financeira irá, claramente, influenciar.

“Há (jeito de reverter). Tem de conversar. Entre hoje, amanhã, segunda. É uma proposta muito boa em termos de salário. Financeiramente é muito positivo. Tivemos um ano muito complicado por esse lado; o presidente tentando de tudo para colocar as coisas em dia. Isso ainda não aconteceu. Isso pesa um pouco. Momento da família, viver coisas inéditas”, explicou Tardelli.

“Isso é uma coisa pessoal (reajuste de salário). Não posso chegar e falar a minha ideia. Não passa de mim, mas da diretoria, do meu empresário. Eu passo minha posição e eles passam a proposta. Vamos conversar hoje para ver que situação estamos”, completou.

Visibilidade. Apesar do sonho de atuar em um grande centro - na Europa, por exemplo -, o atacante deve mesmo ir para um mercado com menos visibilidade. E as consequências desta decisão podem ser, por exemplo, o 'esquecimento' de Dunga nas próximas convocações da seleção brasileira. Tardelli, contudo, indica que chegou a hora de pensar no futuro, em sua família.

“Eu sei o que vai pesar. Talvez eu possa abrir mão de uma possível seleção, de outra Libertadores. Esse ano foi muito complicado aqui dentro, internamente. Esse lado talvez pesa um pouco mais. Independente da decisão, nada será apagado. Estou na história do clube. Ainda não é uma despedida. Estou passando como está no momento”, disse.

“Todo mundo sabe o carinho que eu tenho pelo Atlético, pela torcida. Sabe o que eu significa no clube, a referência que eu sou para muitos torcedores. Já estou 29, 30 anos, então preciso pensar na minha vida. Tenho três anos de contrato. Tem de ver o que será bom para todo mundo. Tem as férias e eu mereço, todos merecem descansar um pouco”, finalizou.

Leia tudo sobre: diego tardelliatletico2015contratosaidadiretoriadaniel nepomuceno