Novos aliados vão esperar 2015

Secretariado de Fernando Pimentel vai contemplar o PT e seus parceiros de primeira hora

iG Minas Gerais | ISABELLA LACERDA |

Transição. 
 Fernando Pimentel  espera que partidos da base de Dilma Rousseff reforcem a sua base
DENILTON DIAS / O TEMPO
Transição. Fernando Pimentel espera que partidos da base de Dilma Rousseff reforcem a sua base

O fim do suspense em torno do novo secretariado do governo de Minas deve acontecer na segunda quinzena de dezembro, quando o governador eleito, Fernando Pimentel (PT), fará o anúncio da sua equipe. A definição, porém, deverá contemplar inicialmente apenas nomes ligados ou indicados por partidos que estiveram ao lado do PT na campanha deste ano, entre eles PMDB, PCdoB, PROS, PRB e o PR – única legenda que já teve confirmada uma nomeação. Os partidos que não são aliados de primeira hora só serão contemplados no ano que vem.  

Segundo petistas próximos a Pimentel, o anúncio dos secretários devem ocorrer entre o Natal e o Ano Novo e, apesar do governador estar em contato com outras legendas, elas só deverão ter espaços no Executivo a partir do próximo ano.

Esse é o caso do PSD. Apesar de alguns integrantes serem mais próximos a Pimentel do que ao atual governo tucano, há dificuldades em negociar devido a atual direção do partido. “O presidente é o Alexandre Silveira, que foi secretário no governo Antonio Anastasia. Assim fica mesmo difícil”, explica uma liderança do PT. “Novas composições serão feitas no futuro, inclusive para cargos de segundo escalão”, completa.

Além do já anunciado secretário de Defesa Social, Bernardo Santana (PR), alguns nomes já estão praticamente confirmados, mas não ainda foram divulgados por Pimentel, como os de Helvécio Magalhães (Planejamento), Marco Antônio Rezende (Casa Civil), Murilo Valadares (Obras), José Afonso Bicalho (Fazenda) e Macaé Evaristo (Educação).

As maiores dúvidas ainda giram em torno de lideranças que acabaram reeleitas para a Câmara dos Deputados. “A presidente Dilma Rousseff já pediu para não mexer neste momento na composição do Congresso”, relata outro petista.

Deputado cotado para a comandar a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, André Quintão diz ainda não ter tido nenhuma conversa final com Pimentel sobre o assunto.

Espaços. Integrantes do PMDB já dão como certa a presença do partido em pelo menos seis secretarias. Segundo um peemedebista, durante encontro recente, o vice-governador r eleito, Antônio Andrade, comunicou aos colegas de partido que já havia acordo para indicações na pasta da Agricultura, Cultura, Desenvolvimento e Integração do Norte de Minas, Meio Ambiente e Administração. Mas também há especulações sobre a presença do partido na Saúde, provavelmente com deputado federal Saraiva Felipe.

Cotado para uma secretaria, Sávio Souza Cruz (PMDB) diz que não houve formalização de convites. “É uma longa negociação.”

Quem são

Futuro. Além do PSD, outros partidos estão na mira do PT para aumentar a base de apoio do governador Fernando Pimentel em seu primeiro mandato, entre eles, PDT, PTB e PV. Todos estão sendo sondados por petistas sobre apoios.

Repercussão Crítica. O primeiro nome indicado por Fernando Pimentel para compor o secretariado, o do deputado Bernardo Santana para a Defesa Social, desagradou. Nota. Entidades da área da segurança divulgaram nota questionando a escolha. Para o Sindicato dos Policiais Civis, a escolha causou “descrédito, desconfiança e espanto” por “se tratar de pessoa estranha ao meio”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave