Faculdade usava strippers para atrair alunos e arrecadar milhões

FastTrain College também usaria a sua estrutura para falsificar diplomas

iG Minas Gerais | Da Redação. |

Plano.
 
Mulheres dançam de forma provocante para atrair alunos
Chris O'Meara/AP
Plano. Mulheres dançam de forma provocante para atrair alunos

Uma faculdade dos Estados Unidos (EUA) está sendo acusada de criar um golpe para receber milhões de dólares em recursos federais. Segundo o processo, a instituição de ensino, localizada no Estado da Flórida, teria contratado strippers na tentativa de atrair alunos. Conforme a ação, as mulheres ainda estimulavam os futuros alunos a falsificar documentos e também os coagia a mentir.

Em pelo menos um dos sete campi, a FastTrain College “contratou propositalmente mulheres e strippers e as encorajou a dançarem de maneira provocante, enquanto recrutavam jovens para estudarem na instituição”, diz o texto da ação.

Nova ação. O antigo dono da faculdade, Alejandro Amor, 56, foi indiciado criminalmente em outubro e é acusado de conspiração e roubo de dinheiro do governo pelo procurador geral da Flórida e dos EUA.

A ação aponta que a FastTrain e seu dono obtiveram milhões de dólares de maneira fraudulenta, usando falsos pedidos de subvenção – geralmente emitidos por instituições sem fins lucrativos – pelo menos entre o período de 2009 até junho de 2012, quando a faculdade foi fechada em uma operação do FBI.

A FastTrain é apontada ainda como responsável por falsificar diplomas para alunos que não tinham direito de recebê-los, já que não haviam terminaram o ensino médio e, por isso, não seriam qualificados para entrarem em programas de ensino.

Método. Para ter acesso ao dinheiro, a instituição precisava que os alunos fossem às aulas por ao menos 30 dias. Caso eles não comparecessem, a FastTrain falsificava registros de presença ou alterava a data de ingresso para que pudesse coletar o dinheiro mais rápido.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave