Jogo de sobreposições e cores questionam o olhar

Em “Estranho Cinema”, o artista exibe pinturas recentes que fazem o espectador refletir sobre o que encontra nas telas

iG Minas Gerais | carlos andrei siquara |

Para o pintor, composições problematizam a linguagem à qual se dedica
Carminha Macedo Galerias de Arte
Para o pintor, composições problematizam a linguagem à qual se dedica

A convivência entre vestígios de construções ao lado de referências à natureza, além de sobreposições que acrescentam um vasto repertório de cores, caracterizam os trabalhos apresentados por Elton Lúcio na mostra “Estranho Cinema”, que pode ser vista na Carminha Macedo Galeria de Artes, localizada na Pampulha.

A variedade de elementos nas telas, que captam e disputam o olhar do público, de acordo com ele, é proposital e não fruto de uma composição aleatória. Lúcio observa que essa configuração provoca o espectador a perceber que aquelas obras podem não ser tão figurativas quanto parecem.

“Tudo que está em torno da cena criada ali é abstrato, ao meu ver. A partir do momento em que eu estou fazendo aquelas sobreposições ou acrescentando um movimento de tinta escorrida, eu chamo atenção para a condição daquele trabalho como pintura”, diz Lúcio.

Para ele, suas criações não só problematizam a linguagem, mas também abordam a condição humana. “A questão da solidão é algo que me interessa tratar nas telas”, afirma.

Serviço. “Estranho Cinema”, Carminha Macedo Galeria de Artes (rua Antonio Angelo Cavanis, 420, Pampulha). Visitação: de 2ª a 6ª, das 10h às 18h; sáb., das 10h às 14h. Gratuito.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave