Relacionamentos com bom humor e música

Dirigido e estrelado por Marisa Orth, “Romance III - Agora Vai!” fala de trajetórias amorosas – da paquera ao término

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Cantora. Há alguns anos, atriz tem se dedicado também à música, já disco gravado
Priscila Prade / divulgação
Cantora. Há alguns anos, atriz tem se dedicado também à música, já disco gravado

Histórias de amor e de separação são (e sempre serão) matéria de interesse de homens e mulheres, afinal, os relacionamentos amorosos e os rompimentos seguem ocorrendo, mesmo que os “parâmetros” para se relacionar tenham ganhado novas nuances. Para citar um exemplo, o crescimento (e certa banalização) do número de divórcios, em “tempos líquidos”, conforme aponta o estudioso polonês Zygmunt Bauman.

O espetáculo “Romance Volume III – Agora Vai!”, de Marisa Orth, chega a Belo Horizonte neste fim de semana, versando justamente sobre o tema. “Até onde eu saiba, as pessoas continuam se relacionando”, brinca Orth. No palco, ela promove um espetáculo que mistura música e stand-up show. “Aparentemente, é um show, tem uma banda no palco. Mas daí, você pode me perguntar o que faz desse trabalho um espetáculo e não um mero show de música. A diferença é que criamos uma dramaturgia a partir das músicas. As letras das canções trazem uma sequência dramática”, sinaliza.

Como as histórias de relacionamento amoroso tendem a ser cantadas por quem viveu aquilo, a atriz optou por canções que falassem na primeira pessoa sobre o amor. “É difícil escolher uma música em terceira pessoa, porque naturalmente distancia a narrativa. Sempre me pego pensando no momento em que aquela música foi composta. Que momento é esse?”, pondera a artista. Além disso, ela fugiu de músicas que ficaram marcadas por interpretações das suas cantoras. “Eu não escolhi nada da Elis Regina, porque eu não sou doida. Nem da Gal Costa! Imagina, eu cantando ‘Vapor Barato’”, diverte-se Orth.

“Romance Volume III”, como diz o nome, é o terceiro de uma série de espetáculos sobre o tema. “Podemos ter infindáveis volumes do ‘Romance’, porque é um espetáculo baseado na música e também porque sua temática é sempre recorrente”, garante a atriz. O antecessor a este nasceu em 2009 e foi sucesso de público.

A retomada do assunto, cinco anos após, é marcada por um amadurecimento da artista. Com concepção dela mesma e Natalia Barros, o espetáculo apresenta uma abordagem um pouco mais a fundo do que o trabalho anterior, passando por várias etapas da construção de um relacionamento amoroso. “O primeiro tinha um tom de brincadeira e estreou no Dia dos Namorados e era uma coisa mais ácida, sobre relacionamentos que não deram certo. Algum tempo se passou e estou mais madura. Esse novo espetáculo é sobre esse ideia do ‘para sempre’ presente nos casamentos”, completa.

O formato stand-up do show é mais relaxado que espetáculos formais de teatro e permite uma comunicação direta com a plateia. Além disso, naturalmente, uma temática que fale a “todas as pessoas” também diz respeito àquela que está em cena. “Todo mundo que faz esse tipo de trabalho se coloca. É natural e uma forma bem própria desse tipo de espetáculo. Acho que é uma maneira de se aproximar. Mas não fica claro para o público o que é história minha e quais são as que ouvi por aí”, garante a artista.

Show ou peça? Acostumada, de uns tempos para cá, a encarnar sua “faceta” cantora – o “Romance II” foi tão bem sucedido que rendeu um disco, com 12 faixas – Orth acredita que esteja fazendo uma fusão entre as duas funções. “Eu brinco dizendo que para o homem que não quer ir ao teatro, diga que é um show. Para a mulher que se recusa a ir ver ‘aquela Magda’ cantar, diga que é uma peça de teatro”.

Serviço.  "Romance III – Agora Vai!", amanhã, às 21h, e domingo, às 19h, no Grande Teatro do Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1.046, centro). Ingressos: Plateia I - R$ 80, Plateia II - R$ 70 e Plateia III - R$ 40 (com meia-entrada prevista para cada setor)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave