O feminino na potência das vozes e composições das autoras

Artistas Michelle Andreazzi e Luana Aires são integrantes do coletivo Amostra Nua de Autoras (ANA)

iG Minas Gerais | gustavo rocha |


Dupla de cantoras mostra canções próprias e leituras de poemas
LEONORA WEISSMAN DIVULGAÇÃO
Dupla de cantoras mostra canções próprias e leituras de poemas

Conceber um show musical pode ir além de um set list bem elaborado para agradar ao público. Além de alguns recursos recorrentes para extrapolar a alçada musical do show, como cenografia, criação de luz e figurino, há outras possibilidades que podem residir no encontro do gênero com outras linguagens. Pensando nisso, Michelle Andreazzi e Luana Aires, do coletivo Amostra Nua de Autoras (ANA), apresentam seus trabalhos autorais, hoje, na Casa Una de Cultura. “Temos uma relação muito próxima com a literatura, com a poesia, então o show guarda momentos nos quais vamos ler coisas que gostamos e também poemas que escrevemos”, garante Michelle, que também integra o grupo Capim Seco.

As duas cantoras e compositoras serão acompanhadas por Rafael Macedo no piano e no violão. “Pensamos em um formato mais intimista. O Rafa nos acompanha e a gente também toca alguns instrumentos de percussão”, antecipa.

O coletivo ANA surgiu em 2008 e traz importantes nomes da cena de compositoras da cidade. Além de Aires e Andreazzi, Jennifer Souza, Luiza Brina, Déa Trancoso, Patrícia Lobato e Sara Não Tem Nome são algumas artistas que integram o trabalho. Juntas, as autoras gravaram um disco, lançado em 2013.

Para Michelle, pensar que há uma produção mais prolífica de autores e compositores na atualidade é ignorar o fato de que muita gente já produzia e, por uma série de fatos, não conseguia fazer com que seu trabalho chegasse ao público. “Acho que a produção cultural e também as pessoas começaram a se interessar mais por artistas menos conhecidos. Elas não prestigiam o trabalho de compositores consagrados apenas”, sinaliza a cantora.

A artista também pontua que se a situação para compositores (homens) não era (é) favorável, o quadro se torna um pouco pior ainda para as compositoras. “Entendemos que o coletivo ANA é uma forma de ‘empoderamento’ para essas mulheres também, num cenário que é predominantemente masculino e costuma chamar a atenção do público por essa característica”, finaliza.

Agenda

O quê. Amostra Nua de Autoras (ANA) – com Michelle Andreazzi e Luana Aires.

Quando. Hoje, às 22h

Onde. Casa Una de Cultura (rua Aimóres, 1.451, Lourdes)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave