Troca-troca do governo já tem cinco novos secretários

Solenidade de posse aconteceu no gabinete do prefeito, na tarde da última quinta-feira (4)

iG Minas Gerais | Da Redação |

Clélia volta a exercer cargo de procuradora municipal
João Lêus
Clélia volta a exercer cargo de procuradora municipal

Como já havia sido adiantado pelo jornal O Tempo Betim na edição de semana passada, a mudança no primeiro escalão do governo municipal teve início. O prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB) e seu irmão, o especulador imobiliário e empreiteiro Ciro Pedrosa, antes mesmo de enviarem o projeto para ser votado na Câmara dos Vereadores, iniciaram, na tarde da última quinta (4), a quarta reforma administrativa na atual gestão municipal.

Em uma solenidade acanhada, na sala anexa ao gabinete do prefeito, cinco secretários tomaram posse. Mauro Reis, que era secretário de Saúde, passou a chefiar a Secretaria de Gabinete, antes ocupada pela advogada Clélia Horta. Em seu discurso, ele falou sobre a crise econômica do país e o impacto que ela causa no município.

“Vivemos um momento difícil, e 2015 será ainda pior. Estamos com um orçamento reduzido, não temos receita e, no ano que vem, não poderemos contar com a ajuda financeira do Estado e da União, que também enfrentam dificuldades em seus orçamentos”, alertou Reis.

Mauro foi substituído pelo médico Rasível dos Reis Santos Júnior. O novo secretário falou sobre os principais desafios que irá enfrentar pela frente, ressaltando que o repasse de recursos dos governos federal e estadual é imprescindível para que o município consiga gerenciar a saúde no próximo ano.

“Não é possível fazer gestão sem os recursos e as parcerias desses órgãos. Um exemplo é a regionalização do Samu, que vai trazer uma economia importante de gastos na urgência”, explicou o médico.

Rasível, que até o mês passado ocupava cargo de confiança na administração de Antonio Anastasia, fez questão de frisar que, apesar de ter atuado no governo do Estado, nunca saiu de Betim. “Continuo morando no mesmo lugar, no bairro Brasileia. Conheço bem a rede de saúde pública e já trabalhei na Secretaria de Saúde de Betim”, afirmou.

A advogada Clélia Horta deixou a Secretaria Municipal de Gabinete para tomar posse como titular da Procuradoria Geral do Município. Neive Machado, efetivo que estava à frente da Procuradoria, foi rebaixado à condição de secretário adjunto, tendo sido avisado pela reportagem de O Tempo Betim.

Já o jornalista Hugo Teixeira, mais um “funcionário tucano” que ficou sem emprego com a vitória do petista Fernando Pimentel para governador nas últimas eleições, também tomou posse. Ele assumiu a Secretaria Municipal de Comunicação, no lugar de Daniele Marzano, que ficou um ano e 11 meses à frente da publicidade oficial da prefeitura.

Instabilidade

Durante o evento, Carlaile justificou os motivos que o levaram a anunciar, pela quarta vez, uma mudança drástica em seu secretariado. “Elas são necessárias para nos dar mais motivação e mais condições para nossa equipe buscar a renovação de que tanto precisamos dentro da prefeitura”, afirmou. O prefeito voltou a falar sobre a dívida de R$ 200 milhões herdada da ex-prefeita MDC (PT), mas não explicou como pretende fazer para quitar a dívida que seu próprio governo está gerando.

“Não conseguimos investir, pois não temos recursos, e a arrecadação não cresceu. Esperamos começar 2015 com parcerias com a União e o Estado, para poder trazer melhorias para a cidade”, frisou.

Secretários e funcionários de segundo escalão da prefeitura encararam as mudanças com receio. “Na verdade, o governo está mudando pessoas, mas não está mudando o comportamento. Estamos com a máquina inchada e com muita gente sem saber o que fazer. Trocar por trocar não adianta muito”, disse um diretor operacional da área de saúde. Outros secretários devem perder seus cargos com a reforma a ser feita nos próximos dias.

Mais gastos

Apesar de reconhecer a difícil situação financeira do município, Carlaile Pedrosa anunciou uma medida que veio de encontro ao discurso de economia.

O prefeito disse que irá criar uma nova Secretaria de Segurança, porém, não quis dizer quem será o escolhido para a função.

Para justificar a medida, que trará mais gastos para a prefeitura, já que novos cargos terão que ser criados, o prefeito falou sobre o aumento da criminalidade no município e afirmou “que segurança não é um dever só do Estado e da União, mas de todos os Poderes”.

A reforma, que será enviada à Câmara ainda neste ano, vai trazer mais mudanças. As superintendências de Juventude e de Trabalho devem ser extintas. Secretários envolvidos em irregularidades também deverão ser afastados, como forma de melhorar a imagem da administração.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave