Teste do HIV é feito rapidamente

iG Minas Gerais | José Augusto Alves |

O Sepadi, que localiza-se nas dependências do Centro de Especialidades Divino Ferreira Braga, realiza palestras sobre a Aids duas vezes por semana. Nos encontros, são explicadas as formas de transmissão da Aids e de outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e as formas de prevenção. “Há ainda muitas pessoas desinformadas que acham que o HIV se transmite por causa de um abraço, um aperto de mão e outras maneiras inequívocas. No entanto, acabam se esquecendo que a principal forma de transmissão é através da relação sexual”, disse Roberta.

Após as palestras, as pessoas que quiserem podem realizar o teste rápido para diagnosticar se têm ou não o vírus. Cerca de 40 testes são feitos por mês em média na cidade. “O teste é rápido, e em 20 minutos, se tem o resultado. É feito com uma gota de sangue da pessoa. Caso o resultado dê positivo, é feito um outro teste com outro método para confirmação. Se os dois derem o mesmo resultado, a pessoa está infectada”, explicou a enfermeira Maria Leonor.

Com o resultado, a pessoa já inicia o tratamento imediatamente e já sai do local com os remédios, os chamados antirretrovirais, um coquetel de vários compridos que inibem a multiplicação do vírus e ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico, mas não cura da doença. Os medicamentos, que são tomados por toda a vida, estão disponíveis na rede pública de saúde.

Um deles é o chamado “coquetel do dia seguinte”, um tratamento disponível para casos de emergência que visa evitar a infecção pelo HIV em pessoas que passaram por algum tipo de situação de risco, como relação sexual sem preservativo. Ele deve ser tomado em, no máximo, 72 horas após a situação. No entanto, o Ministério da Saúde alerta que o método não pode se transformar em rotina, pois é uma medida de exceção e não é 100% eficaz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave