Jogadores do Cruzeiro celebram culto de gratidão pela boa temporada

Parte do elenco tetracampeão se reuniu na Igreja Batista Getsêmani, no bairro Dona Clara, e Ceará foi o pregador

iG Minas Gerais | DIEGO COSTA |

Durante a campanha que levou o Cruzeiro ao tetracampeonato brasileiro, várias manifestações de fé foram vistas nos gramados de Minas Gerais e do Brasil. Com o objetivo alcançado, o momento era de agradecer aos céus por mais uma temporada de destaque. E parte do elenco se reuniu na noite desta quinta-feira, para celebrar um culto na Igreja Batista Getsêmani, no Bairro Dona Clara, em Belo Horizonte.

A presença dos atletas deixou fiéis e fãs agitados. Do grupo celeste, compareceram os jovens Alex e Alisson, o meia Marlone, os atacantes Dagoberto, Marcelo Moreno e Willian, os goleiros Fábio e Elisson, os zagueiros Dedé e Léo, além do lateral Ceará. O diretor de futebol Alexandre Mattos foi outro a marcar presença na Igreja.

Responsável pela pregação da noite (o que ministra o evangelho), o camisa 2 azul assumiu a postura de pastor para destacar o compromisso desta noite.

"Entendemos que deveríamos fazer um culto de agradecimento mesmo, de uma forma pública e formal, para esclarecer o nosso propósito e o comprometimento com esse Deus maravilhoso", destacou Ceará.

O pastor também se lembrou da faixa que foi exibida pela torcida na partida, contra o Goiás, com os dizeres "A Deus toda glória", no jogo que garantiu o título, no Mineirão.

"É um feito especial, podemos dizer que singular. Nenhuma outra equipe no Brasil, acredito até que mundial fez algo semelhante ou parecido. Nós temos um coração muito grato por tudo que aconteceu nesta temporada, por tudo aquilo que Deus nos concedeu de vitórias, de recompensa pelo nosso trabalho. Sabemos que Ele nos concedeu o dom de efetuar nossa profissão, porém há muitos também com este dom, por isso acreditamos que o diferencial da nossa equipe foi justamente esse dedo de Deus, a mão de Deus que nos concedeu esse privilégio de ganhar o Brasileiro, ser campeão mineiro e chegar a uma final da Copa do Brasil", completou. 

Mas o assédio foi inevitável. Na porta do templo, vários fãs se aglomeraram para tentar ver os tetracampeões, tirar fotos e conseguir um autógrafo.  O assunto futebol ficou em segundo plano. O meia-atacante Marlone, por exemplo, que chegou a ter o nome envolvido em especulações com o Grêmio para a permanência de Marcelo Moreno na Toca, deixou a situação para depois.

"Sempre muito importante a gente agradecer a Deus pelas conquistas, pelo ano que tivemos. Quanto ao meu futuro, eu deixo nas mãos dele", destacou Marlone. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposacultodeusigrejagetsemanibatistagratidaocampeaotetrafuteboltorcida