Glivan chama Kalil de fanfarrão e provoca seca de títulos nacionais

Presidente do Cruzeiro fez questão de lembrar que desde 1971, o Atlético não fatura um Campeonato Brasileiro

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Presidente da Raposa acredita que parceria com a Caixa sai ainda neste ano
CHARLES SILVA DUARTE/O TEMPO
Presidente da Raposa acredita que parceria com a Caixa sai ainda neste ano

Calado após as provocações de Alexandre Kalil relativas ao título da Copa do Brasil, o presidente do Cruzeiro resolveu se pronunciar. Gilvan voltou a contestar a palavra do ex-mandatário alvinegro, que o chamou de mentiroso devido a polêmica dos clássicos com torcida única. Irritado, o dirigente celeste qualificou as declarações de Kalli como "fanfarronices" e cobrou honradez do rival.

"Todo mundo me conhece, sabe da seriedade do presidente do Cruzeiro e todo o Brasil ouviu do presidente do Atlético, em um depoimento que prestou, que enquanto ele fosse presidente do Atlético, o clube não aceitaria cota de ingresso para a torcida do Atlético, porque eles tiveram um comportamento péssimo no clássico pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro 2014. Ele não cumpriu essa palavra dele e como o presidente do Cruzeiro que é mentiroso? Ele tentou desmentir o que é óbvio. Levei na condição de mais uma fanfarronice dele, que ele tem muito. Não levei como ofensa nem nada, porque ele é assim e tem esse temperamento. Se eu der a minha palavra, eu morro, mas cumpro a minha palavra. Não sou de voltar atrás. Fui criado no interior, onde a questão de honrar as coisas é muito importante", disse.

Sem papas na língua, o presidente celeste aproveitou para provocar o ex-mandatário alvinegro, que estaria em demasiado êxtase após a conquista do inédito título da Copa do Brasil. "Acho mais que normal esse tipo de provocação, até porque quem está há mais de 40 anos sem ganhar um título brasileiro, o título que ganha é o mais importante da carreira dele. O Cruzeiro, graças a Deus, está acostumado a ganhar títulos. Nesse dia, em uma entrevista que eu dei, me perguntaram como estou e eu disse que já esqueci, porque já penso em 2015. A gente ganha título, ganha a taça, guarda e tem que pensar na frente, não ficar adorando, porque se ficar nessa adoração, às vezes, não virão outros", disse.