Escolas municipais de Venda Nova dispensam alunos por falta de água

Outras quatro escolas da região mantêm as aulas, mesmo sem o fornecimento de água ter sido normalizado; moradores de pelo menos três bairros da capital denunciaram a não normalização do serviço

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Duas escolas municipais da região de Venda Nova, em Belo Horizonte, dispensaram os estudantes das aulas, por volta das 9h30 desta quinta-feira (4), devido a falta de água nas instituições. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação, as outras quatro escolas da região também não tiveram a normalização do fornecimento, mas mantêm as atividades.

Uma das instituições que suspendeu as aulas é a Escola Municipal Antônio Gomes Horta, no bairro Parque São Pedro. Ainda segundo a assessoria, no período da tarde, as aulas serão retomadas, já que o fornecimento de água começou a ser retomado no final desta manhã.

O serviço foi interrompido, segundo a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) devido a realização de uma obra de interligação de adutoras na avenida Pedro I, motivada pela implantação do Move/BRT no local. Com isso, mais de 100 bairros da região metropolitana ficaram sem água nessa quarta-feira (3). Além da capital, foram atingidas as cidades de Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Vespasiano. A companhia tinha anunciado que o fornecimento seria retomado na noite dessa quarta, o que não aconteceu.

Moradores da região também denunciam o não cumprimento da promessa da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). No bairro Santa Amélia, os moradores encontraram as suas caixas de água vazias nesta manhã.

"Alguns moradores estão indo para casa de parentes para tomar banho e estamos tendo que comprar água para beber. Um dos moradores aqui do prédio ligou na Copasa e disseram que água deve voltar hoje, mas isso ainda não aconteceu. Os moradores estão apreensivos de que fique sem água até amanhã", relatou o zelador de um prédio no bairro Parque São Pedro, Onivaldo Felipe Neres, 40.

Ele mora no bairro Lagoinha e disse que na casa dele também não tinha água nesta manhã. "Conferi o hidrômetro e nada. Meu medo é chegar em casa e não ter água nem para tomar banho", afirmou.

Por meio de nota, a Copasa informou que "as obras continuaram ao longo da noite de ontem (3/12) e nesta manhã (4/12). Com isso, a previsão de normalização do abastecimento será de forma gradativa, no decorrer da tarde e noite de hoje (4/12)".

Leia tudo sobre: falta de águaCopasamoradoresescolas municipais