Ministro do Esporte defende jogo do Palmeiras em novo estádio

Aldo Rebelo, que é palmeirense, também lamentou os episódios frenquentes de violência no futebol brasileiro

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Ministro do Esporte, Aldo Rebelo considera que o movimento está se enfraquecendo
Roosewelt Pinheiro/ABr
Ministro do Esporte, Aldo Rebelo considera que o movimento está se enfraquecendo

 O ministro do Esporte Aldo Rebelo defendeu, nesta quarta-feira (3), a realização da partida entre Palmeiras e Atlético-PR no novo estádio do clube alviverde, no próximo domingo.

"Após debate, o Ministério Público chegou à conclusão que o jogo pode ser no estádio do Palmeiras. Se todo jogo importante o clube não puder realizar no seu estádio, para que então construiu o estádio e receber o apoio de sua torcida?", disse o ministro, que participou do seminário de legados da Copa-2014, no estádio do Maracanã, na zona norte do Rio.

Durante a semana, o Ministério Público de São Paulo havia pedido, por razões de segurança, que a partida que poderá rebaixar o time do Palmeiras fosse transferida para o estádio do Pacaembu. O temor era de que uma invasão de campo ocorra no novo estádio.

O ministro lamentou os atos de violência no futebol brasileiro e, como torcedor do Palmeiras, disse que o time poderá fugir do rebaixamento.

"A violência tem deixado exposto o esporte mais popular do Brasil e do mundo. A violência afasta as pessoas, reduz o respeito que o futebol tem diante da população, diante dos patrocinadores, dos detentores de direitos de transmissão. Vivemos uma situação delicada no Palmeiras, embora o time só dependa do próprio esforço para permanecer na Série A, vem de resultados difíceis. Acho que é possível ganhar o jogo, jogando em casa ao lado da torcida. É preciso o Palmeiras fazer a sua parte, é possível, o Palmeiras tem história, tradição, camisa. Está assentado sobre um pedestal de glórias", afirmou o ministro.

Rebelo ainda sugeriu que torcedores envolvidos em brigas sejam monitorados pela polícia por meio de tornozeleiras eletrônicas e proibição da presença deles em estádios de futebol.