Operadoras pagam à vista as licenças do 4G

A ausência da Oi no leilão de 4G já havia derrubado a arrecadação prevista pelo governo dos R$ 8 bilhões originalmente previstos para cerca de R$ 5,1 bilhões

iG Minas Gerais |

Brasília. Se a modelagem do leilão de 4G na faixa de 700 megahertz (MHz) realizado pelo governo no fim de setembro não foi suficiente para criar uma disputa mínima pelos lotes de frequência ofertados, os altos juros cobrados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nas outorgas garantiram, pelo menos, o pagamento à vista das licenças.

Com isso, o Tesouro Nacional recebe até nesta quinta um reforço de caixa de R$ 5,07 bilhões referentes aos contratos que serão assinados nesta sexta com as empresas.

A ausência da Oi no leilão de 4G já havia derrubado a arrecadação prevista pelo governo dos R$ 8 bilhões originalmente previstos para cerca de R$ 5,1 bilhões. O temor seguinte era de que as companhias vencedoras pagassem apenas 10% desse valor à vista, dividindo o restante em até seis parcelas anuais. Mas como os juros são altos, TIM, Claro e Vivo decidiram depositar de uma só vez os valores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave