Candidatos são maior parte dos indiciados

O delegado informou ainda que os estudantes garantiram que pagaram sozinhos os R$ 5.000 iniciais

iG Minas Gerais | Aline Diniz |

O delegado Antonio Junio Prado informou que, dos 28 indiciados pela suspeita de fraude em vestibulares de medicina e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 15 são candidatos beneficiados pelo esquema. Os outros 13 são integrantes da quadrilha. Conforme o delegado, o inquérito já foi entregue à Justiça para abertura de processo.

Segundo Prado, as investigações policiais vão continuar, e, se necessário, serão abertos novos inquéritos para apurar os fatos. Ainda de acordo com o policial, os pais dos candidatos não foram indiciados porque não foi constatado que eles pagaram pela vaga ou que tiveram qualquer outro tipo de envolvimento na trapaça.

No esquema, os “clientes” pagavam R$ 5.000 antes de realizar a prova e o restante – cerca de R$ 65 mil – era acertado quando o aluno era aprovado no processo seletivo.

O delegado informou ainda que os estudantes garantiram que pagaram sozinhos os R$ 5.000 iniciais. Entretanto, as contas bancárias dos pais desses suspeitos devem ser investigadas. Se ficar comprovado o envolvimento deles no esquema de compra de vagas, eles poderão responder pelo crime na Justiça.

Operação

Prisões. Trinta e quatro pessoas foram detidas por participar das fraudes. O grupo agia em pelo menos cinco Estados, incluindo Minas, e é uma das maiores quadrilhas desse tipo no país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave