ONU confirma que 2014 deve ser ano mais quente da história

iG Minas Gerais |

Lima, Peru. A Organização das Nações Unidas confirmou ontem que o ano de 2014 pode terminar com a temperatura mais alta já registrada, uma clara evidência das mudanças climáticas que causaram chuvas torrenciais, inundações e secas no mundo nos últimos meses.  

“Se novembro e dezembro mantiverem a mesma tendência (que a primeira parte do ano), então 2014 será, provavelmente, o mais quente já registrado, à frente de 2010, 2005 e 1998”, destacou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) em um informe provisório, divulgado durante a Conferência de Mudanças Climáticas em Lima (COP20).

O recorde possível de temperatura média na superfície terrestre “se deve em grande medida às temperaturas recordes na superfície dos oceanos, que vão continuar sendo, provavelmente, superiores ao normal até o fim do ano” disse a OMM.

“Temperaturas elevadas na superfície dos oceanos, combinadas com outros fatores, contribuíram para chuvas e inundações excepcionais em vários países e para secas extremas em outros”, acrescentou o informe. Nos dez primeiros meses do ano, a temperatura média da Terra e da superfície dos oceanos foi 0,57°C mais alta que a média de 14°C do período referencial 1961-1990.

Alarmante. A informação provisória para 2014 determinaria que os 14 anos deste século seriam os mais quentes dos 15 anos com temperaturas mais elevadas, o que confirma a “tendência alarmante” de aumento das temperaturas da Terra em longo prazo. “O aquecimento global não para”, disse Michel Jarraud, chefe da OMM. “O que vimos em 2014 é coerente com o que esperamos de um clima que está mudando. Recordes de temperatura combinados com chuvas torrenciais destruíram muitos hábitats e arruinaram vidas”, declarou o funcionário em um comunicado.

Segundo a OMM, as altas temperaturas de janeiro a outubro foram registradas em um ano sem o fenômeno El Niño, um aquecimento cíclico das águas do Pacífico tropical que perturba o ciclo habitual das precipitações.

Na América Latina foi registrada uma ampla série de desastres ligados ao clima este ano. Na Argentina ocorreram inundações e recordes de chuvas. Os mesmos fenômenos se estenderam ao território paraguaio, ao sul da Bolívia e ao sudeste do Brasil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave