Presidente de fato e de direito!

iG Minas Gerais |

Impossível garantir qualquer previsão no futebol, dentro e fora de campo, mas o fato de conhecer pessoas e situações nos permite arriscar palpites com boas chances de acerto. Sendo assim, se engana quem pensa que Daniel Nepomuceno será um fantoche de Alexandre Kalil na presidência do Atlético. Primeiro, porque o agora ex-presidente não tem perfil para implementar um papel destes; segundo porque Nepomuceno tem personalidade e experiência, adquirida em seus 35 anos de idade, na convivência desde criança com lideranças políticas do clube e nas arquibancadas. De pai para filho O pai do Daniel, o desembargador José Nepomuceno da Silva, foi um bravo juiz de Direito e digno conselheiro do Atlético. Corajoso, anulou uma eleição municipal em Ouro Preto em fins dos anos 1980. Na política interna do Atlético militou durante muitos anos na oposição, inclusive ao próprio Alexandre, a quem apoiou pela primeira vez em 2008, para ocupar o cargo deixado por Ziza Valadares, que renunciou. Na época, já em tratamento contra um câncer, que o levaria em junho de 2011, o dr. Nepomuceno entendia que, naquele momento, só o “um Kalil” para tirar o Galo de uma das maiores crises da sua história. Sintonia O apoio foi sem nenhuma negociação política, mas era um momento de união política histórica no Atlético e Kalil convidou Daniel para ser o seu vice. Durante os três anos do primeiro mandato a convivência foi a melhor que podia se esperar. Veio a reeleição e o presidente manteve o vice e toda a diretoria, para o período mais feliz dos atleticanos nas últimas décadas. Convivência Além da lealdade como vice e do aprendizado durante seis anos convivendo diariamente no centro das decisões do Atlético, Daniel Nepomuceno conta com um componente peculiar no relacionamento com o ex-presidente do Atlético: sentimento de família, de respeito aos antepassados e da paixão pelo Galo. Alexandre Kalil quer o melhor para o Atlético e para o ex-vice que se tornou amigo. Caminho das pedras O novo presidente do Atlético não é alguém que chega de fora para dar continuidade ao que vem sendo feito. Ele é parte integrante do grupo que desde o primeiro dia da presidência do Alexandre KaIil revolucionou a gestão do clube e o fez voltar a ocupar a prateleira de cima do futebol brasileiro. Mesmo grupo O nome sempre comentado como sucessor natural do Kalil era do advogado Rodolfo Gropen, que por causa de seus afazeres profissionais no país e no exterior não pode aceitar a incumbência. Dessa forma, por consenso, os demais companheiros de diretoria entenderam que Daniel seria o nome certo. Com a garantia de que todos permanecerão com ele, o filho do saudoso desembargador Nepomuceno aceitou a difícil, porém honrosa missão. Novo Comendador O comentarista Maurílio Costa (Itatiaia) recebeu, no dia 13 de novembro, a Medalha do Mérito Legislativo da Assembleia de Minas das mãos do governador Alberto Pinto Coelho e do deputado e dirigente do América, Alencar da Silveira Junior, autor do projeto da comenda, muito justa. Maurílio é uma das pessoas que mais conhecem história de Minas e um dos mais apaixonados por Belo Horizonte que conheço.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave