Julgamento da polêmica dos ingressos da Copa do Brasil é adiado

Clube celeste é acusado de não cumprir determinação de liberar os 10% da carga para a torcida do Atlético, na segunda partida, no Mineirão

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

No Independência - que transmitiu o jogo -, atleticanos também provocaram os rivais
Joao Godinho/O Temp
No Independência - que transmitiu o jogo -, atleticanos também provocaram os rivais

Por falta de quórum, o STJD adiou o julgamento do Cruzeiro sobre a polêmica dos ingressos da final da Copa do Brasil, contra o Atlético. Prevista para o fim da tarde desta quarta-feira, a sessão foi transferida para o dia seguinte, nesta quinta, às 16h. O clube celeste é acusado de não cumprir a decisão de liberar 10% dos bilhetes para a torcida atleticana, no dia 26 de novembro, no Mineirão, o segundo jogo da decisão. A partida terminou com a vitória do Atlético por 1 a 0. 

 

De acordo com o STJD, a Raposa teria de reservar 6.217 lugares para a torcida do Galo, conforme prevê o Regulamento Geral de Competições. No entanto, alegando questões de segurança, o clube celeste cedeu apenas 1.813 ingressos.

Por causa do descumprimento, o Cruzeiro foi enquadrado nos artigos 191 I e III; 211; 213 I § 1º; 221; 223; 243-A, na forma do Art. 184 que prevê a somatória das punições aplicadas. A pena pode variar de R$ 100 a R$ 100 mil, bem como a perda de mandos de campo, suspensão de dirigentes, entre outras medidas.

Leia tudo sobre: CruzeirofutebolSTJDjulgamentoclássicomegaclássicoCopa do BrasilingressosPolêmica