Ex-diretor da Petrobras critica posição de Dilma sobre Pasadena

Declaração de Sauer reforça a versão dada à CPI mista da Petrobras por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal

iG Minas Gerais | da redação/ folhapress |

O ex-diretor de Gás e Energia da Petrobras Ildo Sauer criticou o fato de a presidente Dilma Rousseff atribuir a um parecer falho sua decisão de votar em favor da compra da refinaria de Pasadena. A declaração de Sauer reforça a versão dada à CPI mista da Petrobras por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal.

Costa disse na terça (2) que a responsabilidade pela aquisição é 100% do Conselho de Administração, à época da negociação, presidido pela presidente Dilma. Faziam parte do conselho da Petrobras o empresário Jorge Gerdau e os então ministros Antonio Palocci --à frente da Fazenda-- e Jacques Wagner (PT) --atual governador da Bahia, ex-Relações Institucionais--, entre outros.

Ildo Sauer prestou uma espécie de depoimento informal a parlamentares da oposição que integram a CPI, nesta quarta-feira. "A presidente do Conselho de Administração(...), se precisar de mais informação, pode contratar consultor externo, jurídico ou técnico. Eu, se fosse presidente do conselho, não falaria isso", comparou Sauer.

Dilma argumenta que, antes de se posicionar favoravelmente à compra, se baseou num documento incompleto, enviado pela Diretoria Internacional, comandada por Nestor Cerveró. 

Em 2006, o Conselho de Administração da Petrobras avalizou a aquisição de 50% da refinaria de Pasadena, que pertencia à belga Astra Oil.

O TCU condenou 11 diretores e ex-diretores da Petrobras a devolver R$ 1,6 bilhão por prejuízos causados pelo negócio, entre eles o próprio Ildo Sauer. Assim como os demais, ele teve os bens bloqueados. Sauer, porém, sustenta que, na ocasião, com as informações que se tinha, Pasadena era um ativo interessante para a Petrobras. Ele condena o fato de a companhia ter desistido de investir em equipamentos que a permitiram produzir itens com maior valor de mercado, o que geraria mais lucros à petroleira. 

O ex-diretor de Gás e Energia já havia feito outras críticas públicas ao governo atual. Nesta quarta, por exemplo, voltou a afirmar que "Dilma tem mais habilidade em buscar culpados do que soluções para os problemas", frase já publicada pela imprensa. O perfil combativo, inclusive, colaborou para a demissão de Sauer da Petrobras. "Eu divergi de muita coisa. Eles me mandaram embora e estou feliz", concluiu.

Leia tudo sobre: petrobrasPasadenaCPI DA PETROBRAS