Ronaldo Vasconcellos elogia lucro previsto no orçamento do Galo

Ex-prefeito de Belo Horizonte exaltou a escolha do nome de Daniel Nepomuceno para a presidência do Atlético

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Esportes - Belo Horizonte - MG
Eleicao para novo presidente do Atletico na sede do Lourdes

Na foto: Ronaldo Vasconcellos

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 03.12.2014
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte - MG Eleicao para novo presidente do Atletico na sede do Lourdes Na foto: Ronaldo Vasconcellos FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 03.12.2014

Entre os 423 conselheiros que estão aptos para votar nesta quarta-feira na eleição para eleger o novo presidente do Atlético está o ex-prefeito de Belo Horizonte, Ronaldo Vasconcellos. Com o orçamento do clube apresentado no último dia 25, o político do PV elogiou a política financeira do clube para 2015 e aproveitou para dar alguns pitacos para a próxima temporada.

"O orçamentado Atlético eu li antes da reunião e é da ordem de R$ 208 milhões, que é bom; e o clube deve gastar, arredondando, R$ 108 milhões. Então teremos um lucro operacional de R$ 100 milhões. É lógico que tem de descontar, para chegar no líquido, o que o Atlético deve para a Receita Federal e outros tributos, ficando com um pequeno lucro na ordem de R$ 5 milhões", disse Ronaldo Vasconcellos.

O ex-deputado-federal também aprovou a escolha por Daniel Nepomuceno para a vaga deixada por Alexandre Kalil, apontando a juventude e, ao mesmo tempo, experiência do teórico próximo presidente.

"Temos de reconhecer que o Daniel é uma pessoa jovem, 36 anos, e ele tem uma grande vantagem. Primeiro que ele já frequentação Atlético antes, até por ser vice-presidente. Segundo que ele é filho de um grande atleticano, que é o desembargador José Nepomuceno. Ele também já tem uma grande experiência política, sendo vereador e secretario municipal, que não é fácil. E ninguém mais conhece hoje a estrutura do Atlético, funcionamento, a parte operacional,o dia a dia do clube do que o Daniel. Então acho que é uma substituição natural. E o pessoal da direção teve uma sapiência grande de colocar como vice uma pessoa do nível, da competência, da experiência desembargador José Saramago", afirmou Vasconcellos.

"Devemos sempre sonhar, ter esperança, mas nunca exigir. O Atlético teve um bom 2014, ficamos bem no Campeonato Brasileiro, ganhamos a Recopa, a Copa do Brasil... Eu acho que o Atlético tem uma carência, sem querer ser palpiteiro, de centroavante, pois o Jô não deve ficar no Atlético, na minha avaliação. O Carlos é muito bom, mas é uma promessa", finalizou.

Leia tudo sobre: atleticogaloronaldo vasconcellosex-prefeitobelo horizonte