Acusações da Venezuela são enorme mentira, diz deputada cassada

Ex-integrante da Assembleia Nacional é questionada sobre participação em plano para assassinar o presidente do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A deputada cassada María Corina Machado enfrenta desde às 10h (12h30 em Brasília) desta quarta-feira (3) questionamentos de promotores sobre sua suposta participação no que o governo descreve como um plano para matar o presidente Nicolás Maduro.

A ex-integrante da Assembleia Nacional repetidamente caracterizou as alegações como perseguição política.

"Vou muito tranquila [à audiência fechada] porque estou consciente que é minha responsabilidade e é o que os venezuelanos esperam de mim", afirmou à Globovisión em referência ao fato de que responde a uma intimação.

Dizendo que não há provas contra ela, Machado classificou as acusações de "enorme mentira".

O governo acusou Machado e outros vários importantes membros da oposição de se envolver no que autoridades disseram ser uma conspiração patrocinada pelos EUA de assassinar o sucessor de Hugo Chávez, morto em março de 2013.

À Associated Press, a deputada cassada afirmou que as acusações são o preço que paga por desafiar a "ditadura" liderada por Maduro.

As acusações surgem enquanto o país enfrenta crescentes problemas econômicos pela queda dos preços do petróleo.

Leia tudo sobre: venezuelamadurooposição