Irã diz que não participou de bombardeios ao Estado Islâmico

"Não confirmo as informações sobre uma cooperação militar [com o Iraque]; nós damos apoio militar e conselho de acordo com as normas internacionais", afirmou a porta-voz da diplomacia iraniana, Marzieh Afkham

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Irã não confirmou nesta quarta-feira (3) que seus aviões bombardearam a facção Estado Islâmico (EI) na fronteira com o Iraque, como havia dito o Pentágono na terça (2).

"Não confirmo as informações sobre uma cooperação militar [com o Iraque]. Nós damos apoio militar e conselho de acordo com as normas internacionais", afirmou a porta-voz da diplomacia iraniana, Marzieh Afkham. "Não aconteceu uma mudança na política do Irã de dar apoio e conselho às autoridades iraquianas em sua luta contra o grupo Estado Islâmico."

Na terça-feira, o porta-voz do Pentágono, o contra-almirante John Kirby, afirmou que os Estados Unidos tinham informações sobre "ataques aéreos com aviões F-4 Phantoms nos últimos dias" no Iraque, que teriam sido realizados pelo Irã.

As declarações foram feitas depois que o canal Al Jazeera exibiu imagens de aviões parecidos com os caças F-4, similares aos utilizados pela Força Aérea iraniana. Os aviões atacavam alvos na província de Diyala, perto da fronteira com o Irã.

Teerã colocou à disposição do Iraque vários aviões Sukhoi Su-25. De acordo com informações não confirmadas, pilotos iranianos estão comandando as aeronaves.

Uma autoridade disse, em condição de anonimato, que o Irã não está envolvido em nenhum ataque aéreo contra o Estado Islâmico no Iraque. "Qualquer cooperação nesses ataques com os Estados Unidos também está fora de questão para o Irã", disse.

Desde agosto, os EUA e diversos países bombardeiam alvos do EI no Iraque em coordenação com as autoridades iraquianas.

A coalizão liderada pelos EUA também age na Síria desde de setembro --mas sem coordenação com Damasco. O EI controla partes da Síria e do Iraque na tentativa de criar um califado islâmico.

Leia tudo sobre: Estado IslâmicoMundoBombardeioIrãConflitoIraqueFronteiraPentágonoFacção