A nova ordem preta e branca

Novo mandatário alvinegro terá que resolver pendências financeiras com governo e atletas

iG Minas Gerais | Fernando Almeida e Thiago Prata |

Vinícius Costa/AE – 25.4.2014
undefined

Hoje é um dia especial para a história do Atlético. O dia em que se encerra uma era de sucesso e se inicia outra, que surge como promissora e tentará manter, ou mesmo superar, o que foi feito na gestão de Alexandre Kalil. Nesta quarta-feira, Daniel Nepomuceno será aclamado como novo mandatário do Galo, tendo a responsabilidade de garantir o clube de 106 anos na prateleira de cima do futebol brasileiro e recolocar a agremiação no topo da América.

Candidato único da eleição do Atlético, a ser realizada entre as 10h e as 18h, na sede de Lourdes, o futuro mandatário alvinegro carregará o peso e a honra de comandar o Galo na busca por títulos de expressão durante o triênio 2015/2016/2017.

E como tudo tem um começo, Daniel espera iniciar seu mandato com decisões certas, apontando um caminho de luz para a fanática Massa alvinegra. Mas muitas delas estarão diretamente relacionados à saúde financeira do clube.

Nepomuceno enfrentará obstáculos para continuar a missão de sanar as dívidas do Atlético, assim como aconteceu com seu antecessor, Alexandre Kalil. Entre os problemas que terá pela frente, o imbróglio com o governo federal.

O Galo tinha um acordo com a União para dar fim às dívidas tributárias. A agremiação iria pagar R$ 864 mil por mês, durante 15 anos, além de uma entrada de 20% sobre o montante da dívida. Porém, o juiz da 26ª Vara Federal, André Gonçalves de Oliveira Salce, indeferiu a homologação do trato.

Além disso, o Atlético deve direitos de imagem aos atletas – os salários estão em dia. Sem contar que a previsão é que o orçamento para angariar reforços para 2015 será de R$ 2,5 milhões – em 2014, o valor havia sido de R$ 22 milhões para contratações. Isto complicará a vida da diretoria, que precisará trazer reforços, principalmente para a próxima Libertadores.

Lutando contra as dificuldades financeiras, a cúpula busca a renovação de contratos de alguns atletas tidos como fundamentais dentro do elenco alvinegro – e outros cujos vínculos se encerram na primeira metade de 2015 – e do técnico Levir Culpi, o homem responsável pelo choque de que o plantel necessitava para angariar as taças de campeão da Recopa e da Copa do Brasil em 2014.

A permanência de Culpi será de suma importância para o planejamento que está por vir, assim como a manutenção de peças fundamentais, como Diego Tardelli, cobiçado pelo futebol europeu.

Esse é o mundo que Daniel Nepomuceno terá nas mãos. Caberá a ele transformá-lo num templo em que o torcedor vibrará com alegria nas vitórias.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave