Período parado fortalece espírito

iG Minas Gerais |

Leal e Escobar se conheceram em Cuba, quando os dois ainda atuavam no vôlei de quadra. Ali eles construíram uma amizade que é tratada, atualmente por ambos, como irmandade. Escobar acabou indo atuar no vôlei de praia, mas os contatos permaneceram dentro do local de treinamentos dos atletas.

Depois de dois anos parado – devido a uma exigência do governo cubano para aqueles que querem jogar fora do país –, Escobar voltou à ativa, mas ainda sente um pouco a falta de ritmo.

“Esse período me atrapalhou. Perdi, praticamente, toda a forma física. Eu não corria, nem treinava, não fazia nada esportivo. Só estudava”, lembra o cubano.

Leal sabe bem o que o amigo passou e reconhece o esforço e os resultados. Ele também precisou ficar distante das quadras por dois anos para ter condição de deixar o país onde nasceu.

“Quando passamos por isso, sabemos que temos que chegar rendendo bem, para conseguirmos bons contratos e correspondermos às expectativas. Essa necessidade nos faz mais fortes. O Escobar já está retomando a boa forma dele”, garante o cruzeirense.

Escobar estudou licenciatura até o último ano, quando deixou os estudos para atender o convite do Minas. Faltando um ano para sua formação, ele espera dar aulas de vôlei para crianças quando deixar as quadras. Ele precisa voltar a Cuba para terminar o curso. (DO)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave