Falta de vitamina D pode até levar à morte

iG Minas Gerais |

Nova Iork, EUA. Um estudo demonstrou que níveis baixos de vitamina D não são apenas consequência de uma saúde debilitada, mas aumentam o risco de morte. Muitos estudos observacionais sugerem que níveis baixos de vitamina D estão associados ao aumento do risco de doenças.

Entretanto, não determinam com clareza se esses níveis são os causadores ou apenas consequência de uma saúde debilitada. Um novo estudo, que usou uma técnica chamada randomização mendeliana, fornece agora evidências de que níveis baixos de vitamina D no soro sanguíneo aumentam o risco de morte.

Para o estudo, publicado no periódico BMJ, pesquisadores usaram registros de saúde do governo dinamarquês sobre 95.766 participantes. Todas as pessoas fizeram exames para detectar uma variante genética que reduz os níveis de vitamina D e 35.334 mediram os níveis presentes em seu soro sanguíneo. Ocorreram 10.349 óbitos de 1981 a 2013.

Por meio do estudo de duas populações extensas – uma possuía a variante genética e outra não – os pesquisadores conseguiram quase que eliminar os efeitos de fatores como doenças, hábitos e comportamentos que poderiam contribuir com o enfraquecimento da saúde. Essas características teriam sido distribuídas de maneira uniforme entre as populações estudadas, deixando apenas a diferença genética entre elas. Os cientistas descobriram que os genes associados a níveis baixos constantes de vitamina D aumentavam o risco de morte por câncer em mais de 40% e o risco de morte por outras causas em mais de 30%. Eles não descobriram efeitos sobre o risco de morte por doenças cardiovasculares.

“Esse estudo mostra que talvez exista uma relação causal” entre níveis de vitamina D e óbito, afirmou o Dr. Shoaib Afzal, do Hospital da Universidade de Copenhague Todavia, “não podemos recomendar que as pessoas saiam para comprar suplementos. Ainda é preciso realizar experimentos randomizados”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave