PP fará autoavaliação, diz Amin

iG Minas Gerais |

Brasília. A vice-presidente do Partido Progressista (PP), Ângela Amin, disse que, a partir do resultado das delações premiadas na operação Lava Jato, a legenda fará uma “autoavaliação” para “tomar as atitudes que se fazem necessárias”. “Defendo o esclarecimento dos fatos e o direito de defesa de cada um dos citados na delação premiada”, afirmou Ângela em entrevista à Rádio Estadão.

Para a dirigente do PP, a delação premiada de Alberto Youssef vai colocar “à população brasileira aquilo que realmente aconteceu”. Reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” de ontem mostra que Youssef afirmou a investigadores que “só sobram dois no PP”, numa referência ao envolvimento de grande parte dos políticos do partido no esquema de corrupção na Petrobras. Youssef é considerado o operador do PP no esquema de cobrança de propinas.

Questionada sobre o esquema, Ângela Amin disse que nunca participou de nenhuma reunião com o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. “Fui deputada federal de 2006 a 2010, fui presidente de comissão e, em nenhum momento, tive participação ou envolvimento em qualquer reunião de que esse diretor tivesse participado”, afirmou.

Caso haja comprovação do envolvimento de membros do partido no esquema, Ângela defende que a decisão sobre a possível expulsão seja tomada pelo diretório nacional em uma reunião ampla para que “o processo não seja tendencioso”. “Temos que ter coragem neste momento, assim como aqueles que estão colocando à população brasileira o que aconteceu. Os partidos políticos não podem se intimidar e devem tomar também suas atitudes”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave