Relação entre colecionador e acervo guia curadoria da mostra

“Afetividades Eletivas” traz 150 obras de arte integrantes do acervo de Luiz Sérgio Arantes a BH

iG Minas Gerais |


Obra “Con-fio” da artista Jorge Menna Barreto faz parte da mostra
LUISA MEYER
Obra “Con-fio” da artista Jorge Menna Barreto faz parte da mostra

Nascido em Uberlândia, Luiz Sérgio Arantes começou a adquirir obras de arte quando cursava engenharia, em Belo Horizonte. Desde então, vem acumulando pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, fotografias assinados por artistas nacionais e internacionais em sua casa na capital paulista. Parte de seu acervo chega à Galeria de Artes do Centro Cultural Minas Tênis Clube, a partir de manhã, integrando a exposição “Afetividades Eletivas”.

A mostra é composta por 150 obras que elucidam a relação entre o colecionador e seus objetos. “Havia separado, na verdade, 250 obras, mas tivemos que reduzir. E um dos motivos foi para realçar a ligação de Luiz com as obras e com os artistas que as conceberam. Muitas delas foram dadas a ele e outras adquiridas, mas todas com significados importantes”, comenta Margarida Sant’Anna, que divide a curadoria da mostra com Arantes.

Na exposição que fica em cartaz até o dia 1º de março, há obras de artistas conhecidos como Amilcar de Castro,Inimá de Paula e Beatriz Milhazes, e de outros nomes mais novos no mercado. “Depois de escolher as peças, notei que se estabelecia um diálogo entre elas, formando um certo agrupamento de acordo com algumas características, mas nada muito rigoroso”, afirma a curadora.

Assim, a exposição foi dividida em quatro núcleos: Da Letra à Imagem, com peças que usam da palavra escrita como elemento principal; O Corpo como Suporte, com obras de artistas que privilegiam autobiografia, processos, gestos e performances; A Obra e Seu Espaço, com aquelas voltadas ao paisagismo; e A Arte como Questão da Arte, composta de objetos que questionam a própria arte.

Ao falar do colecionador, Margarida faz questão de realçar sua trajetória para explicar o mote curatorial. “Quando se mudou para São Paulo, Luiz se associou ao Clube de Colecionadores de Gravura e de Fotografia do Museu de Arte Moderna de São Paulo. A partir daí ele foi conhecendo artistas contemporâneos e adquirindo cada vez mais obras. Acho muito interessante que ele começou por gravuras, desenhos e objetos mais acessíveis. Muita gente acha que tem que começar uma coleção com Adriana Varejão, por exemplo. Mas estão enganados”, diz a curadora. (VL)

Agenda

O quê. Exposição “Afetividades Eletivas”

Quando. A partir de amanhã até dia 1 de março

Onde. Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube (rua da Bahia, 2.244, Lourdes)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave