“É como se vivêssemos em estado de guerra”

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

Uma pergunta que não quer calar é por que razão o ser humano anda tão intolerante e agressivo. “Essa é uma questão complexa, fruto de variáveis que contribuem para esse estado de estresse e insatisfação em que muitos de nós se encontram atualmente, sobretudo em uma sociedade que, na maioria das vezes, exige que sejamos alguém que nós não somos, que nos vende a ideia falsa de que só após ter isto ou aquilo é que vamos ser felizes, que só depois de ter tal ou tal coisa é que vamos ser pessoas realizadas” responde o escritor Lauro Henriques Júnior.  

Ele acredita que tudo isso é uma grande ilusão. “Essa tal felicidade futura nunca chega, e o resultado é esse acúmulo de agressividade, de intolerância. É como se vivêssemos em constante estado de guerra com a vida”.

Para ele, um bom antídoto para esse quadro de insatisfação com a vida, enfatizado por praticamente todos os entrevistados, “é procurarmos viver em um estado de maior aceitação com a vida, de entendermos que qualquer experiência pela qual passamos é uma oportunidade de crescimento, uma chance de aprendermos algo novo. A vida é cheia de desafios. É preciso enxergá-los não como obstáculos a nossa felicidade, mas como oportunidades de crescimento”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave