O governo e as invasões

iG Minas Gerais |

Causa perplexidade a ousadia do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra em invadir terrenos, inclusive urbanos. É incrível a má-fé de alguns indivíduos em apoderar-se do que foi adquirido com muito esforço pelos outros. Ignoram que o direito de propriedade é protegido pela Constituição Federal e que esta não permite que a inveja respalde o ato de tomar de um trabalhador para dar a quem nada produz.

A princípio, imaginei que seria um exagero a informação de que o governo federal enviou, antes das eleições de outubro, emissários para impedir a execução das ordens dos desembargadores dos tribunais de Justiça dos Estados que determinaram a reintegração de posse dos proprietários contra os invasores. Mas, ao constatar que, em Belo Horizonte, bem como em São Paulo, os proprietários não conseguem obter a posse, mesmo após ordem do Poder Judiciário para construtoras iniciarem obras que gerarão milhares de empregos e centenas de novas moradias, vejo que o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH) que está no site do PT de Curitiba vem sendo implantado pelo atual governo.

O PNDH estimula a invasão de imóveis urbanos, além de rurais, e defende a tomada de empresas e terras que “não cumpram a sua função social integralmente”, conforme está no link www.pndh3.com.br/wp-content/uploads/2010/05/Cartilha_PNDH-PT-Curitiba.pdf.

No dia 28.10.2014, não tive mais dúvidas quanto ao que realmente pensam a presidente e seu governo com relação aos governos autoritários. Pelo visto, a Venezuela quer nos auxiliar a instalar o caos, pois naquela data seu ministro Elías Jaua, vice-presidente setorial do Desenvolvimento do Socialismo Territorial e titular do Ministério do Poder Popular para os Movimentos Sociais, assinou vários convênios com o MST, em São Paulo, para treinamento dos nossos “desocupados e invasores profissionais”.

O ministro explicou que os convênios têm “o objetivo de incrementar a troca de experiências e formação para fortalecer o que é fundamental numa revolução socialista”. Então, ele nos ensinará a fazer racionamento de alimentos e a como nos virar sem papel higiênico e sabonetes, como está ocorrendo na Venezuela, onde o presidente Nicolás Maduro reprime os que protestam contra seu governo. A presidente se calou, mesmo tendo Jaua dito que pretende fazer uma revolução no Brasil!

O governo tem se empenhado em defender o Decreto 8.243/2014, arsenal de barbaridades jurídicas que liquida com o Poder Legislativo, além de financiar as ONGs que sustentam o MST, que afronta as leis constantemente sem qualquer punição.

Não me surpreenderá se a presidente reproduzir o que a Venezuela fez em 2013, ao obrigar os locadores a vender o imóvel que estivesse locado para o inquilino pelo preço imposto pelo governo. Maduro fez a população que pagava aluguel praticamente tomar o bem do locador, ao forçar este a entregar sua propriedade por um preço irrisório.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave