Garimpo ilegal em terra indígena de Roraima leva 80 pessoas à prisão

A maioria das prisões ocorreu em flagrante; ação faz parte da operação Krokorema 2, realizada pela Funai e pela Cipa (Companhia Independente de Policiamento Ambiental)

iG Minas Gerais | Da Redação |

Ao menos 80 pessoas foram presas nesta segunda-feira (1º) por garimpo ilegal de ouro e diamante na Terra Indígena Yanomami, no interior de Roraima, a cerca de 300 km da capital, Boa Vista.

A ação faz parte da operação Krokorema 2, realizada pela Funai e pela Cipa (Companhia Independente de Policiamento Ambiental), responsável pelas prisões. Segundo a companhia, os garimpeiros estão se entregando nesta tarde, o que deve elevar o número de detidos nas próximas horas. "Há elementos de crime ambiental, também, pois há assoreamento do rio e despejo de metais pesados, como mercúrio, em uma bacia hidrográfica que alimenta o rio Branco, em Boa Vista", diz o major Miguel Arcanjo, comandante da Cipa. A atividade ilegal foi identificada após sobrevoo da Funai pela área.

A maioria das prisões ocorreu em flagrante. Todos os 80 detidos serão encaminhados nesta terça (2) para a sede da Polícia Federal em Boa Vista. Além das prisões, os policiais também trabalham para destruir os equipamentos utilizados no garimpo ilegal no rio. Ao menos dez balsas foram inutilizadas.

A tensão no local aumentou no último sábado (29), quando um sargento da Cipa foi baleado durante a operação. Segundo Arcanjo, o sargento passa bem e não corre risco de morrer.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave