Duplo atentado atinge mercado na Nigéria

Porta-voz da polícia, Gideon Jubrin, disse que ainda não há estimativa de quantos morreram; atentados aconteceram na região nordeste do país; radicais do Boko Haram podem ter envolvimento no ataque

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A polícia da Nigéria informou sobre um duplo atentado em Maiduguri, no nordeste do país, em um mercado onde duas mulheres-bomba mataram 70 pessoas há uma semana.

As equipes de resgate estão retirando mortos e feridos do local.

O porta-voz da polícia, Gideon Jubrin, disse que ainda não há estimativa de quantos morreram.

Nenhum grupo reivindicou o atentado, mas os radicais do Boko Haram podem estar por trás do ataque.

Também segunda-feira, supostos combatentes do Boko Haram lançaram um ataque antes do amanhecer em Damaturu, capital do estado de Yobe. Militares disseram que um avião de combate estava contra-atacando os rebeldes.

O ataque começou por volta das 6h local (2h, em Brasília) quando, segundo relataram vários residentes ao jornal nigeriano "Premium Timas", foi ouvida uma forte explosão seguida por disparos.

"É como se tivessem nos rodeado, ouvimos explosões e fortes disparos. Todos estamos deitados no solo com nossas famílias. Rezem para que possamos sobreviver", declarou um residente ao jornal.

Damaturu está situada a 135 quilômetros de Maiduguri, capital do estado de Borno, principal reduto de Boko Haram.

Boko Haram

Desde 2009 o grupo luta para refundar um califado islâmico sob o cumprimento estrito da sharia (lei islâmica). O nome do movimento significa "a educação ocidental é proibida".

A violência do Boko Haram e sua repressão pelas forças de segurança fizeram 13 mil mortos e mais de 1 milhão de deslocados desde 2009.

Em abril o grupo Boko Haram sequestrou mais de 200 meninas de aldeia Chibok, também no norte da Nigéria. O movimento prometeu tratá-las como escravas, vendê-las em países vizinhos e forçá-las a casar. O caso ganhou repercussão internacional.

Na sexta-feira, morreram cerca de cem pessoas e 135 ficaram feridas em um atentado contra uma importante mesquita da cidade de Kano.

Leia tudo sobre: CrimeBoko HaramAtentadoMulher-bombaÁfricaTerrorismoMundoNigériaRebeldesmercado