Estatais investiram R$ 75,5 bi até outubro, com ênfase no petróleo

Investimentos equivalem a 71,4% da dotação anual, até o quinto bimestre de 2014; os números foram publicados no DOU desta segunda-feira

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

As empresas estatais fizeram investimentos no valor de R$ 75,5 bilhões, equivalentes a 71,4% da dotação atual, até o quinto bimestre de 2014. Os números estão no Diário Oficial da União desta segunda-feira (1º). A edição publica a execução do orçamento de investimento das empresas estatais relativa ao período [setembro-outubro], bem como a execução da política de aplicação dos recursos das agências financeiras oficiais de fomento.

O decreto destaca que a Lei Orçamentária Anual (LOA) fixou dotação consolidada para o Orçamento de Investimento de 2014, no montante de R$ 105, 6 bilhões, que significou redução de 14,2% sobre o valor da dotação final aprovada para os investimentos das empresas estatais em 2013 e de 6,9% sobre o montante realizado naquele exercício.

O montante aprovado para 2014 agregou dotações para a execução de obras ou serviços em 328 projetos e 263 atividades.

O Orçamento de Investimento de 2014 teve sua dotação aumentada em decorrência de incorporação de saldo de exercícios anteriores, no montante R$ 197,747 milhões, passando a dotação para R$ 105,8 bilhões.

Dos gastos com investimentos em 2014, parcela equivalente a 94,1% do total foi financiada com recursos de geração própria. Em relação à dotação atual total, os recursos de geração própria previstos equivalem a 90,7%.

O Ministério de Minas e Energia, ao qual estão vinculados 89,1% do total dos investimentos de estatais, constantes da LOA, obteve o melhor desempenho entre os órgãos, ao realizar 74,1% da programação atual, informa o documento. Alguns programas, principalmente no âmbito do setor petróleo, se destacam em comparação aos demais, não apenas pelo vulto dos recursos destinados, mas também pelo empenho que as empresas, por eles responsáveis, dedicam em sua execução, medido pelos respectivos indicadores de desempenho.

Leia tudo sobre: EconomiaestataisinvestimentoPetróleoEnergiaCombustívelBrasilDOU